Camilo recomenda adiamento do início das aulas para crianças de até 11 anos em 15 dias no Ceará

Em razão do aumento dos casos de gripe e Covid-19 nas últimas semanas, o governador do Ceará Camilo Santana (PT) recomendou que as escolas que estavam programadas para iniciar as aulas na próxima segunda-feira (17) adiem o início das atividades em 15 dias. A medida é voltada para as séries que contemplam alunos de até 11 anos de idade, ainda não vacinados contra a Covid.

"E que as escolas tomem essa decisão compartilhada com os pais dos alunos e das crianças cearenses", recomendou o governador.

Outra medida anunciada pelo gestor é da diminuição de público máximo permitido nos estádios de futebol, que só vão poder acolher até 30% da capacidade máxima até o dia 5 de fevereiro. Ele lembrou que a data é o prazo estabelecido também para a redução de público dos eventos.

Outra determinação coloca a obrigatoriedade do uso de máscaras do tipo N95 ou similares nos atendimentos de farmácias, supermercados, escolas e outros estabelecimentos.

"Devido ao alto poder de contágio dessa onda. Os estudos mostraram que a máscara N95 consegue proteger significativamente a transmissão dessa variante que, repito, é muito transmissível. É uma obrigatoriedade que o comitê decidiu para proteger o trabalhador e a população", explicou Camilo.

O Sindicato dos Estabelecimentos de Educação e Ensino da Livre Iniciativa do estado do Ceará (Sinepe-CE) ainda não tem um posicionamento oficial sobre o assunto e vai se manifestar após a publicação do decreto no Diário Oficial do Estado (DOE).

Aumento da positividade em Fortaleza

O secretário da Saúde do Ceará, Marcos Gadelha, acompanhou o governador na live desta sexta e também comentou sobre o cenário epidemiológico da capital. Fortaleza está com quase 45% da taxa de positividade dos exames de Covid-19 realizados.

"Isso significa que de 100 pessoas que fazem o exame, quase metade estão com exames positivos, refletindo exatamente essa alta transmissibilidade dessa variante", comentou o secretário.

O aumento da positividade também reflete na necessidade de atendimento médico. "A quantidade de atendimento nas unidades básicas de Fortaleza tem aumentado bastante. O número de atendimentos nas UPAs está chegando a quase mil diariamente", complementou Gadelha.

"Continuamos com aumento muito forte da Covid. A ômicron, variante predominante hoje no Ceará, tem uma agressividade muito grande. Aumento muito grande também assistencial, principalmente nos postos de saúde e UPAs, apesar de a grande maioria dos sintomas serem leves. Dos sintomas mais graves, a grande maioria é dos que não tomaram a segunda dose e dose de reforço", reforçou Camilo Santana.

Número de casos dispara

O número de atendimento nas Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) de Fortaleza em pacientes com síndromes gripais já é o dobro do registrado no pico da segunda onda da Covid, segundo afirmou nesta quarta-feira (12) a secretária de Saúde de Fortaleza, Ana Estela Leite.

De acordo com Ana Estela Leite, os equipamentos hospitalares receberam mais 1,2 mil pessoas somente na segunda-feira (10).

“No dia 10 de janeiro, na última segunda-feira, os nossos postos atenderam o máximo, ultrapassou o máximo de atendimentos quando tivemos a segunda onda. Nós tivemos nas Upas no máximo na segunda onda 600 atendimentos por dia. Nós observamos agora mais de 1.200 atendimentos por dia."

G1 CE

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.