Empresa deve pagar R$ 13 milhões após morte de caminhoneiro soterrado por arroz


Quase sete anos após um caminhoneiro ter morrido soterrado nas docas de Garston, na Inglaterra, por uma carga de toneladas de arroz integral, a administradora do porto foi condenada a pagar R$ 13,2 milhões de multa e R$ 232 mil de custas no processo judicial.

A Associated British Ports Holdings, que administra as docas de Garston, se declarou culpada de cometer várias falhas de saúde e segurança sendo multada em cerca de R$ 13 milhões como resultado do acidente fatal.

De acordo com o Uol, o caminhoneiro e outros três motoristas transportavam arroz de um navio de contêineres para um galpão de armazenamento nas docas. No entanto, quando o veículo dele não saiu do galpão, foi feita uma busca e o funcionário foi encontrado, já sem vida, embaixo das 30 toneladas de arroz.

A vítima sofreu “lesões significativas nas pernas, lesões contundentes no peito e asfixia mecânica”. Uma investigação do HSE concluiu que a Associated British Ports Holdings Ltda. falhou em seu dever de realizar uma avaliação de risco adequada e suficiente. A empresa também foi acusada de não ter colocado em prática medidas de controle apropriadas. Ela não corrigiu uma falha de manutenção no mecanismo de retenção de carga, que teria impedido o motorista de sair de seu veículo e ficar no local onde a carga tombou.

ISTOÉ / DINHEIRO

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.