Segurança de loja iniciou tiroteio em shopping com 3 disparos antes de atingir gerente, diz laudo


Novos laudos da Perícia Forense do Ceará (Pefoce) reforçam a tese de que o segurança da joalheria efetuou o disparo que matou a gerente Caroline Alves da Rocha Damasceno, de 36 anos, em um shopping em Fortaleza, na noite de 20 de agosto deste ano. Conforme os exames, o segurança ainda iniciou o tiroteio dentro da loja, dando três tiros antes de o assaltante revidar com o primeiro disparo.

A conclusão foi feita no Exame de Extração de Imagens de DVR, que detalha o tempo e o trajeto de cada tiro, anexado ao processo do latrocínio nesta segunda-feira (13). Ainda foram anexados a Perícia em Local de Crime e a Pesquisa de Chumbo (Residuográfico), feita nas mãos e nas roupas da vítima.

O Diário do Nordeste noticiou com exclusividade que os laudos cadavérico, de comparação balística e de identificação de perfis genéticos já apontavam que a vítima havia sido atingida por apenas um disparo de uma arma de fogo, efetuado pelo segurança.

Cinco homens foram presos pela Polícia Civil do Ceará (PCCE) sob suspeita de envolvimento no latrocínio e já se tornaram réus na Justiça Estadual pelo crime: Lúcio Mauro Rodrigues Ferreira, André Luiz dos Santos Nogueira, Antônio Duarte Araújo Eneas, Douglas da Silva Dias e Antônio Jardeson Lima de Moura. Já o segurança terceirizado da joalheria, de identidade preservada, prestou depoimento na delegacia como testemunha do crime e foi liberado.

De acordo com a análise pericial das imagens do DVR, segurança e assaltante efetuaram cinco disparos cada. Mas apenas um tiro que saiu da arma do profissional que trabalhava na joalheria atingiu Caroline, ao entrar pelas costas e sair acima do peito esquerdo.

DIÁRIO DO NORDESTE

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.