BNB diz que contrato de R$ 600 mi com ONG é para operar Crediamigo e Agroamigo


Questionado sobre um contrato com ONG no valor de aproximadamente R$ 600 milhões por ano, o Banco do Nordeste (BNB) divulgou nota nesta terça-feira, 28, explicando que a contratação está em conformidade com legislação vigente e é para operar o microcrédito produtivo e orientado urbano, com Crediamigo e Agroamigo.

Em vídeo divulgado na segunda-feira, 27, o presidente Nacional do PL e um dos principais líderes do Centrão, Valdemar Costa Neto, diz que o questionamento partiu do presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

O partido indicou a atual direção do banco. Costa Neto diz ter ligado para o presidente do BNB para confirmar a informação e ter se surpreendido com a resposta positiva sobre o assunto. Isso porque a avaliação de Bolsonaro é que a ONG foi fundada e é controlada por pessoas do banco ligadas ao PT.

Após a polêmica, o BNB lançou nota pública detalhando que o termo de parceria com o Instituto Nordeste Cidadania (Inec), organização da sociedade civil de interesse público (OSCIP), existe desde 2003, quando teve início o processo de expansão do programa de microcrédito produtivo e orientado urbano do Banco do Nordeste.

"Sua contratação está em conformidade com a legislação vigente. O Inec presta o serviço de operacionalizar os programas de microcrédito do Banco do Nordeste. No sentido de avaliar oportunidades e buscar a melhor eficiência de sua atuação, o BNB deu início, em 2019, a estudos técnicos e avaliações, tendo inclusive contratado um banco de investimento para reavaliar sua atuação no segmento de microcrédito, iniciando pelo programa urbano (Crediamigo)", frisa o comunicado.

Conforme o BNB, eventuais mudanças no modelo de atuação do banco, no segmento de microcrédito, necessariamente precisam seguir os princípios da governança, compliance, ética, integridade e transparência, "valores imprescindíveis na tomada de decisão de uma operação de tamanha complexidade".

Informa ainda que, no momento, a instituição está na fase de modelagem desta atuação, definindo os parâmetros dos serviços. Quando concluídos os estudos, e se aprovadas as propostas de alteração da atuação, haverá divulgação ao mercado.

"Alterações que venham a ser implementadas, sempre visarão as melhores condições de custo/benefício oferecidas para todos os stakeholders (interessados no BNB) envolvidos, buscando elevar ainda mais eficiência e efetividade da atuação do Banco", finaliza a nota.

Microcrédito no BNB

No âmbito do microcrédito, no primeiro semestre de 2021, o Banco do Nordeste apresentou resultado, por meio do Crediamigo, considerado maior programa de microfinança urbana da América do Sul, R$ 6,44 bilhões, relativos a 2,2 milhões de operações de crédito, observando-se crescimento, em termos de valores, de 30,06% em comparação ao realizado nos seis primeiros meses de 2020. No período, a carteira do Crediamigo cresceu R$ 860 milhões, registrando aumento de 15,8%.

Já por meio do Agroamigo, programa de microfinança rural, as contratações atingiram valor total de R$ 1,59 bilhão para o total de 299.759 operações no período.

Em termos de valores, o incremento foi de 28,6% comparativamente às contrações do primeiro semestre do exercício anterior. Na posição do final do semestre, a carteira ativa do programa atingiu valores de R$ 5,36 bilhões, alcançando 1,4 milhão de clientes, dos quais 74,9% empreendem no semiárido.

Conheça a ONG 

Fundado em 1993, o Instituto Nordeste Cidadania (Inec) é uma Organização da Sociedade Civil (OSC), qualificada como Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (Oscip) desde 2003, que tem como foco o desenvolvimento sustentável de comunidades do Nordeste.

A qualificação como Oscip possibilitou a celebração de termo de parceria com o Banco do Nordeste para operacionalizar o Crediamigo, programa de microfinança urbana.

E, em 2005, lançou, juntamente com o BNB, o primeiro programa de microfinança rural para agricultores familiares da América do Sul, o Agroamigo.

Com os dois programas, o Inec informa que atende, anualmente, cerca de 3,6 milhões de microempreendedores e agricultores familiares, com mais de R$ 15 bilhões investidos em 2020.

Além dos programas de microcrédito, a ONG detalha que investe em ações nas áreas cultural, de tecnologia e desenvolvimento comunitário, atendendo crianças, jovens e adultos, de acordo com os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS).

Atualmente, o Inec divulga contar com mais de sete mil colaboradores em todos os estados do Nordeste e nos nortes de Minas Gerais e do Espírito Santo.

O POVO

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.