Três são capturados por suposto envolvimento em caso de motorista que teve o corpo queimado, no Ceará

José Hilker Assunção de Sousa está internado em estado grave no Instituto Doutor José Frota. — Foto: Arquivo Pessoal

Uma operação conjunta das Polícias Militar e Civil do Ceará resultou na apreensão de um trio de adolescentes suspeitos de envolvimento no caso do motorista de aplicativo que teve 95% do corpo queimado em Caucaia, na Grande Fortaleza.

José Hilker Assunção de Sousa sofreu uma tentativa de homicídio durante um assalto na rua Campo do Madureira, no Bairro Guajiru. Os suspeitos lesionaram a vítima com um objeto perfurocortante, atearam fogo nele e subtraíram o veículo.

De acordo com policiais, as apreensões ocorreram tanto em Fortaleza quanto em Caucaia. Apesar do trio capturado, a polícia garantiu que a operação segue em busca de outros possíveis envolvidos no caso.

Todos os três adolescentes foram encaminhados ao Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) de Fortaleza. O G1 aguarda mais detalhes da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social do Ceará (SSPDS) sobre a apreensão dos três adolescentes.

O motorista de aplicativo que foi roubado e agredido durante uma corrida no último sábado (21) está com 95% do corpo queimado. Em sua conta no Instagram, a mulher dele, Gleycyane Araújo, abriu uma campanha para que amigos e familiares possam colocar doações. Segundo ela, o motorista está internado no hospital Instituto Doutor José Frota (IJF), no Centro da capital

José Hilker Assunção de Sousa foi roubado, agredido e teve o corpo queimado após realizar uma corrida no sábado, no município de Caucaia, na Região Metropolitana de Fortaleza. A polícia afirmou que o motorista de aplicativo foi abordado por indivíduos na Rua Campo do Madureira, no Bairro Guajiru. Os suspeitos lesionaram o condutor com um objeto cortante, atearam fogo nele e levaram o carro.

Ainda de acordo com a mulher do motorista, o estado de saúde do marido é grave, porém segue estável. “Venho agradecer a cada mensagem de apoio. No momento não estou conseguindo falar diretamente muitas mensagens obrigada de coração. Consegui contato com os médicos. Ele continua grave mais estável graças a Deus lutando para voltar pra gente. Continuem em oração”, afirmou.

Amigos mais próximos se solidarizam com o casal nas redes sociais. “Qualquer ajuda é bem-vinda nesse momento delicado! Quem puder ajudar é o esposo da amiga Gleycy sofreu uma tentativa de assalto e está no IJF. Que Deus abençoe”, diz uma amiga.

“Gente, peço pensamentos positivos e muitas orações nesse momento para o esposo da minha amiga que muitas de vocês conhecem. Seu esposo sofreu uma tentativa de assalto e está na UTI do IJF”, afirma outra amiga.

Veículo localizado
Após investigações, o veículo foi localizado no Bairro Parque Santa Rosa, em Fortaleza, na madrugada deste domingo (22). As Polícias Civil e Militar seguem com as investigações para identificar e capturar os suspeitos.

Denúncias
A população da região pode contribuir repassando informações que auxiliem na localização dos suspeitos. As denúncias podem ser feitas pelo número (85) 3101-3360, da Delegacia Metropolitana de Caucaia.

Violência contra motoristas de aplicativo
No mês de outubro, o motorista Jares Rodrigues, 54 anos, foi morto por criminosos, nas imediações da rodovia federal BR-116, no Bairro Cajazeiras, em Fortaleza. O motorista ficou caído no meio-fio a alguns metros do veículo que dirigia, que estava com o porta-malas aberto.

Caso Alexandre Fernandes
Outro caso recente de assassinato de motorista de aplicativo causou comoção em Fortaleza e protesto da categoria em agosto último. Alexandre Fernandes, 32, foi morto logo após o embarque de criminosos, que solicitaram uma corrida. Ao se recusar a passar para o banco traseiro do veículo que conduzia, no Bairro Maraponga, em Fortaleza, ele foi morto. O corpo de Alexandre foi encontrado dois dias depois do desaparecimento, com machucados pelo corpo, no Km 30 da BR-116, em Aquiraz, município da Grande Fortaleza.

G1/CE

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.