MPF evita arquivamento de investigação eleitoral contra Flávio Bolsonaro

 

A 2ª Câmara de Coordenação e Revisão do MPF (Ministério Público Federal) decidiu ontem (17) impedir o arquivamento de uma investigação eleitoral contra Flávio Bolsonaro, filho mais velho do presidente Jair Bolsonaro e atual senador pelo Republicanos do Rio de Janeiro. As informações são do Estadão.

Esse processo investiga supostos crimes de falsidade ideológica eleitoral e foi aberto depois de denúncia apresentada no Rio de Janeiro pelo advogado Eliezer Gomes da Silva. O autor disse que Flávio declarou à Justiça Eleitoral, em 2014, a propriedade de 1 apartamento avaliado em R$ 565 mil. Já em 2016, quando Flávio se candidatou à prefeitura do Rio, esse mesmo imóvel foi declarado com o valor de R$ 434 mil.

A Polícia Federal investigou o caso e encerrou o processo em março de 2019 sem encontrar indícios de crime. A PF recomendou o arquivamento do caso e, em maio deste ano, o promotor eleitoral Alexandre Themístocles pediu à Justiça o arquivamento.

O juiz Flávio Itabaiana, da 27ª Vara Criminal do TJ-RJ (Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro), discordou e decidiu remeter o caso para a 2ª Câmara de Coordenação e Revisão do MPF, em Brasília.

Com a decisão do colegiado, o caso volta agora ao MP-RJ (Ministério Público do Rio de Janeiro).

Em nota enviada ao Estadão,  os advogados de Flávio Bolsonaro afirmaram: “A decisão do MPF apenas permitirá a continuação da investigação eleitoral. Não houve denúncia e nem o arquivamento dos autos. Apenas decidiu-se que outro Promotor Eleitoral deverá presidir a investigação, em razão de o anterior já ter se posicionado pelo arquivamento”.

PODER 360

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.