Relatório do Banco Mundial destaca êxito de Sobral em índices de aprendizagem

Escola em Sobral possui resultados acima da média nacional no Ideb | Foto: Antonio Gois

Um relatório do Banco Mundial analisou as razões do bom desempenho de Sobral (CE) em avaliações de aprendizagem. No documento "Alcançando um Nível de Educação de Excelência em Condições Socioeconômicas Adversas: O Caso de Sobral", divulgado há duas semanas, os autores Louisee Cruz e André Loureiro destacam quatro pilares que eles consideraram mais importantes. O êxito do município cearense na area da Educação também foi alvo de um estudo inédito da UFRJ, como mostrou O GLOBO no último domingo.

O primeiro pilar foi o uso efetivo das avaliações de desempenho dos alunos. A importância que Sobral dá às avaliações externas é um ponto de crítica de educadores que veem a política educacional da cidade como demasiadamente centrada em ensinar para testes.

Não há dúvida de que o uso de avaliações – inclusive vinculadas a bonificações em caso de bons resultados – é um elemento importante na cidade. Nas escolas sobralenses, é comum encontrar cartazes incentivando os alunos a irem bem nas avaliações externas, e menções a estudantes ou professores de maior destaque. As avaliações externas são especialmente importantes no contexto de Sobral no caso da alfabetização, pois todos os alunos fazem provas orais e por escrito num teste aplicado – e gravado – por uma avaliadora externa à escola.

Outros pontos destacados no relatório do Banco Mundial são o “currículo com foco e com uma sequência clara de aprendizado, priorizando as habilidades fundamentais”, “professores preparados e motivados” e uma “gestão escolar autônoma e responsável, com diretores escolares nomeados por meio de critérios seletivos técnicos e meritocráticos”.

Fundeb: 'Se o fundo não existisse, não teria vaga para todas as crianças', diz especialista em financiamento da educação

Sobre esse último critério, o ex-prefeito Clodoveu Arruda conta que, quando o grupo político que até hoje se mantém no poder assumiu a prefeitura, foi encontrado até mesmo um caso de diretor de escola analfabeto, que havia sido indicado por políticos. Sobre a motivação dos professores e a adesão deles às políticas, o secretário municipal de educação, Herbert Lima, afrima que há 25 anos os docentes não fazem greve na cidade.

Mesmo destacando que Sobral obtém ótimos resultados em avaliações educacionais investindo menos por aluno do que a média do Brasil, o estudo do Banco Mundial destaca que entre as ações que foram importantes para preparar a melhoria dos indicadores estavam a criação de um plano de carreira para os professores e o aumento do investimento por aluno, que praticamente triplicou entre 2001 e 2015, passando de US$ 543 para US$ 1.340.

Sobral no Pisa
De tão emblemático, o exemplo de Sobral é utilizado com frequência para argumentar que, com os atuais níveis de investimento, o Brasil já poderia ter indicadores de qualidade próximos aos de países desenvolvidos. No entanto, mesmo políticas educacionais sólidas e bem estruturadas não fazem milagres, e nem mesmo a rede com melhores resultados educacionais do país chega perto disso.

Em 2017, alunos da rede municipal da cidade participaram do projeto Pisa for Schools, que aplica a prova do exame internacional da OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico) em escolas. O melhor resultado de Sobral foi em Leitura, com os alunos obtendo uma média de 427 pontos. A do Brasil no exame de 2015 havia sido de 407 pontos. Em Matemática (375) e Ciências (411), a pontuação de Sobral é bem próxima da nacional (377 e 401, respectivamente).

Considerando que o nível socioeconômico das crianças da rede municipal de Sobral é inferior à média de todos os estudantes brasileiros que fizeram o Pisa (o que inclui também jovens de escolas privadas), trata-se de um resultado positivo. Mesmo assim, é bem distante dos 493 pontos registrados na média da OCDE em Leitura e Ciências ou dos 490 em Matemática.

Para Herbert Lima, secretário de educação de Sobral, a comparação dos resultados da média da cidade com os registrados em países não é a mais apropriada:

— O Pisa para Escolas foi feito para avaliar principalmente as escolas. Temos na cidade algumas com níveis de proficiência acima de nações desenvolvidas. Tanto que a OCDE destacou na divulgação de nossos resultados que as escolas de Sobral são destaque num índice de resiliência educacional que eles calcularam, que considera o desempenho dos estudantes considerando as condições econômicas desfavoráveis.

O GLOBO

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.