Hidroxicloroquina funciona em macacos, não em humanos, diz pesquisa


Um novo estudo feito com a hidroxicloroquina apontou que a substância apresenta algum efeito antiviral no organismo de macacos infectados com o novo coronavírus. Mas, ao ser testada em um modelo de vias aéreas humanos, o remédio não apresentou resultado.

Segundo a pesquisa, publicada nesta quarta-feira, 22, pela revista Nature, "a hidroxicloroquina mostrou atividade antiviral em células renais do macaco verde africano, mas não em um modelo de epitélio das vias aéreas humanas reconstituído". 

Nos testes com macacos, os cientistas afirmam ter usado diferentes estratégias, inclusive administrar a hidroxicloroquina em combinação com a azitromicina. Tanto o medicamento isolado, quanto combinado não teve resultado significativo nos primatas a ponto de ser considerado eficaz.

Já quando utilizada como profilaxia, a hidroxicloroquina não conferiu proteção contra a aquisição da infecção, dizem os pesquisadores.

"Nossos resultados não apoiam o uso de hidroxicloroquina, isoladamente ou em combinação com azitromicina, como tratamento antiviral para a covid-19 em humanos", escreveram os cientistas.

CORREIO

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.