Perfil para denúncias de assédio em Sobral é criado no instagram; Lista com nomes é compartilhada



As redes sociais são fortes aliadas para as pessoas que procuram ter voz quando não são ouvidas por familiares e amigos, e em alguns casos pelas autoridades. 

Durante a terça-feira (23), após o Secretário de Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) do Ceará, André Costa, postar em seu twitter que "a Polícia Civil do Ceará está apurando as denúncias" de mulheres de Fortaleza, que afirmaram existir um grupo de homens no whatsapp que divulgam fotos de jovens nuas, sobralenses resolveram aderir ao movimento #exposedfortal criando uma hashtag semelhante, #exposedSobral, que ganhou força principalmente através do Twitter.


Ainda ontem (23), um perfil foi criado no Instagram (@exxposedsobral) e em poucos minutos ganhou centenas de seguidores após divulgar prints de relatos de meninas que sofreram assédio, abuso sexual ou tiveram fotos íntimas compartilhadas sem autorização. Relatos contra professores de escolas públicas e privadas de Sobral e até de um vereador da cidade foram expostos.


A página é administrada por duas pessoas. Em conversa com o Sobral Portal de Notícias, elas afirmaram que não temem sofrer represálias e negaram autoria de uma lista com nomes de supostos assediadores. 

"Na verdade não estamos com medo não, o bom é que temos a consciência de que estamos ajudando MUITAS mulheres. Pois eu mesma quase fui vítima de um, mas não fui por causa desses relatos... Não, não fomos nós. Aqui não fazemos listas.", escreveu.

Lista de supostos assediadores

Uma lista com nomes de homens, seus perfis de Instagram e supostos abusos cometidos por eles foi amplamente compartilhada em diversos grupos de Whatsapp durante a noite de ontem (23). Um dos nomes citados foi o do professor e inspetor de Polícia Civil, Dewayne Mesquita. 

Através de um vídeo, onde ele aparece com a esposa e filhas, ele caracterizou como brincadeira de mal gosto a sua exposição e disse que o responsável pela lista será investigado e responderá judicialmente por isso.


DDM de Sobral investigará denúncias

De acordo com a delegada Dra. Adriana Savi, da Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) de Sobral, nenhuma das vítimas dos relatos divulgados registraram queixa na unidade. Ela ainda afirmou que as denúncias já estão sendo apuradas e que há uma investigação em andamento sobre o caso.

A DDM de Sobral funciona em conjunto com o Centro de Referência da Mulher e o Poder Judiciário e atualmente está localizada na Av. Lúcia Sabóia, no Centro de Sobral, próximo ao prédio da Previdência Social. O horário de funcionamento é de segunda à sexta-feira, das 8 às 18 horas. O telefone disponível para denúncias é o (88) 3677-4282.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.