Casal internado junto com Covid-19 no Ceará recebe alta no mesmo dia: 'Um ajudava o outro'


Após 36 anos de casados, o Dia dos Namorados deste ano foi bem diferente para Liduína de Freitas Gondim, 58, e João de Sousa Gondim, 56. Internados com Covid-19 em Aracati, no Ceará, o casal recebeu alta médica em 13 de junho, um dia após a data comemorativa. Os dois ficaram internados durante quase uma semana e estiveram no mesmo quarto, com contato apenas visual. “Um ajudava o outro”, conta a auxiliar de serviços gerais, Liduína.

João, que apresenta quadro de obesidade e hipertensão, comorbidades que podem agravar a doença, foi o primeiro a sentir os sintomas. “Passei cinco dias com os sintomas e depois ela começou a apresentar também. Chegamos muito ruins, com falta de ar. Passamos no posto de saúde, depois fomos para a UPA e depois para o hospital. Nos colocaram na mesma sala, eu e minha esposa, com oxigênio, em leitos bem preparados. Só nós dois”, conta.

Segundo a Secretaria da Saúde (Sesa) do Ceará, Aracati registra quase 700 casos da Covid-19 e 33 óbitos. Um total de 535 pessoas já se recuperaram do novo coronavírus na cidade. Em todo o Estado, já são mais de 95 mil casos e 5,6 mil mortes. Mais de 71 mil pessoas se recuperaram da doença.

Dias difíceis
Os dois ficaram internados de 8 a 13 de junho, no Hospital Municipal Eduardo Dias. “Você vê seus filhos se despedindo sem poder fazer nada, sem saber se vai voltar. Nós tivemos sorte. Os médicos são muito bem preparados”, recorda João.

Durante o período, Liduína apresentou maiores complicações. “Tenho diabetes e tive chikungunya, há cinco anos. Não sei nem explicar, a gente se cuidava tanto. Cheguei a comprar 10 litros de água sanitária para limpar a casa toda. Não quero que ninguém passe por isso”, lembra a auxiliar. Após a alta, o casal segue se recuperando em casa e em isolamento social, tomando todos os cuidados necessários.

Durante os cinco dias no hospital, João e Liduína permaneceram no mesmo quarto, mas com contato limitado, apenas visual, enquanto cada qual se recuperava em seu tempo. “Ela estava numa situação pior que a minha porque [o vírus] atingiu o pulmão dela”, conta o esposo. Por conta da situação, foi cogitada uma transferência de Liduína para um hospital na Capital, situação que felizmente não foi necessária.

Na tarde do dia seguinte ao Dia dos Namorados (12 de junho), puderam comemorar o momento juntos, em casa.

No caminho de volta, já com o filho mais novo, Rafhael de Freitas, todos os cuidados foram tomados no veículo que fez o transporte. “Como filhos, tivemos todos os cuidados necessários com eles. Foi tudo preparado para a volta. Higienizamos o carro e também a casa para a chegada dos dois”, lembra Rafhael. Além dele, a família é formada por João Ricardo e Joana Paula, e por uma netinha, de apenas quatro meses.

Depois dos dias de sofrimento, o sentimento de gratidão segue presente. “Nós, filhos, parabenizamos muito essa equipe [médica] que esteve à frente desse momento”, ressalta Rafhael. Agora, já em casa, o casal está sendo monitorado por equipes de saúde do Município. “Graças a Deus, estamos bem, curados. Mas, se eu sentir alguma coisa eu conto pra ele e se ele sentir algo conta pra mim”, finaliza Liduína.

RODRIGO RODRIGUES | G1/CE

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.