Clubes e FCF esperam por retomada do futebol ainda em junho

O futebol cearense está parado desde o último dia 16 de março, devido à pandemia do novo coronavírus | Foto: Camila Lima

Os clubes cearenses terão que esperar mais um tempo para poderem voltar às atividades em campo com seus jogadores. Nesta quarta-feira, o governador Camilo Santana, anunciou a prorrogação das medidas de isolamento social rígido no Estado até 31 de maio, por conta do combate à pandemia do novo coronavírus. O número de mortes comprovadas no Estado, como um todo, avançou para 1.900, e a quantidade de pessoas que contraíram o novo coronavírus é de 30.560, segundo atualização da plataforma IntegraSUS, da Secretaria da Saúde.

Assim, os clubes, que aguardavam uma flexibilização para darem os próximos passos quanto os treinamentos, terão que esperar pelo menos mais dez dias para isso.

A boa notícia é que o governador projeta que, em junho- já que no dia 1º o quarto decreto de isolamento estará encerrado- pode ser finalmente um mês de retomada gradual das atividades. "Formamos um grupo de trabalho, de especialistas do Governo, do setor econômico, e apresentaremos um plano que mostrará as fases de retorno da economia, que é uma grande preocupação nossa. Claro que a nossa prioridade é salvar a vida das pessoas, mas também estamos preocupados com a economia, o emprego dos cearenses. Este plano é baseado nos indicadores de saúde e com a tendência estabilização dos casos em Fortaleza, permitiriam iniciar em junho um processo de retomada, gradual, com todo cuidado, das atividades", declarou Camilo Santana, em seu pronunciamento.

Alinhamento

E as entidades do futebol nacional, como a Confederação Brasileira de Futebol (CBF), e do futebol local, a Federação Cearense de Futebol (FCF) já vinham se planejando para no mês de junho, como de queda nos casos da pandemia, um retorno gradual às atividades futebolísticas, com os treinos como primeiro passo, iniciando em julho as competições. Por isso, a prorrogação do decreto em mais 10 dias não altera de forma radical o planejamento dos clubes e federações.

"Já havia a expectativa de que o prazo do isolamento social seria prolongado. Isso só faz é nos dar mais tempo para um planejamento, da Federação e dos clubes. Vamos torcer para que junho seja possível uma volta aos treinamentos. Junho será primordial para uma retomada do futebol. Tenho esperança os casos e o número de mortos sejam reduzidos, e que atividades como o futebol sejam retomadas com todo cuidado", declarou o presidente da FCF, advogado Mauro Carmélio.

Em seguida, Carmélio afirmou que o planejamento do futebol continuará sendo feito dia a dia, semana à semana, como desde o início da pandemia. "Nós projetamos um retorno em abril, em maio, mas não foi possível pelo avanço da pandemia. Por isso, continuaremos nos reunindo, CBF, Federação e clubes, e analisando o cenário para um retorno", finalizou.

O secretário-geral da CBF, Walter Feldman, em entrevista à Reuters, também acredita que em junho as portas podem se abrir para o futebol.

"Maio é o período mais dramático da doença, e vamos ver as portas que vão se abrir em junho. O aprofundamento da crise, agora, significa que logo em seguida deve vir o abrandamento. Em junho, devemos ter a volta dos treinos, protocolo sustentado e possibilidade de flexibilização das autoridades", disse.

Planejamento

Desde o início da pandemia e suspensão dos treinos nas dependências dos clubes, que os times cearenses aguardam o aval do Governo do Estado para retomar os treinamentos. Caso as atividades sejam retomadas em junho, um mês será de treinamentos para retomada da forma física e técnica, para em julho os campeonatos retornarem.

Ceará e Fortaleza já têm protocolos para voltar aos treinamentos, mas não farão as atividades sem autorização. Por isso, os treinos para os elencos são remotos, ou seja, em casa. Claro, acompanhados de preparadores físicos, fisiologistas e membros do departamento médico.

Os presidentes de Vovô e Leão destacaram que os clubes têm protocolos prontos e tomarão medidas responsáveis. "Já esperávamos que o governador prorrogasse o isolamento. E o clube continua dependendo de uma autorização para voltar aos treinos. E os treinos nos clubes podem retornar com a volta das atividades econômicas, possivelmente em junho. O Ceará já tem todos os protocolos para a realização dos treinamentos, com testes e insumos necessários", disse o presidente Robinson de Castro.

Em seguida, Robinson não quis planejar um retorno aos jogos, focando apenas no inicio dos treinamentos. "Não falo em jogo. Temos que pensar primeiro na volta aos treinos. Até os treinos terão diferentes etapas e os coletivos podem demorar mais".

Já o presidente do Fortaleza, Marcelo Paz, afirmou que uma volta precisa acontecer com toda responsabilidade. "Precisamos aguardar um decreto do governador liberando as atividades, para que o futebol possa voltar. Mas a saúde está em primeiro lugar. Temos os protocolos, com gente qualificada dentro do clube, com médicos qualificados para realizar testes nos funcionários", disse ele.

Em seguida, Paz afirmou que a prioridade são os retornos aos treinamentos. "Pelo senso comum, quando se fala em volta do futebol, parece que amanhã vai ter jogo. O retorno seria aos treinos. Os atletas estão há mais de 60 dias sem correr, sem atividade física extensa, específica da modalidade. Não dá para voltar a jogar agora. Precisamos de, ao menos, 21 dias de pré-temporada, para aí sim, pensar em retorno dos jogos".

VLADIMIR MARQUES / DIÁRIO DO NORDESTE

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.