Mandetta: "Fico até encontrarem uma pessoa para assumir meu lugar"

Luiz Henrique Mandetta está de saída do Ministério da Saúde (Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil)

Em entrevista exclusiva concedida à revista Veja, o ministro da saúde, Luiz Henrique Mandetta, afirmou que sua saída do governo Bolsonaro foi definida e que se manterá no cargo apenas enquanto o Planalto procura um substituto.

Mandetta afirmou a publicação que não se arrepende de nada que fez durante o exercício do cargo. Ele disse ainda que, junto de sua equipe, “ajudou bastante” o Governo no enfrentamento à pandemia da Covid-19, mas que estava cansado.

“Foram 60 dias disso, 60 dias tendo de medir palavras”, declarou à Veja, ao mencionar os constantes embates da gestão dele com o presidente da República Jair Bolsonaro (sem partido). “Você vai, conversa, parece que está tudo acertado e, em seguida, o camarada muda o discurso de novo. Já chega, né?”, completou o ministro.

O novo titular da pasta ainda não foi escolhido pelo presidente. Segundo a Veja, Mandetta afirmou que ele e sua equipe estão dispostos a ajudar seu substituto caso ele ou ela peça ajuda, pois tem um compromisso com o País. “Aqui é tudo marinheiro antigo, não tem principiante, ninguém vai torcer contra”,completou.

Ao ser questionado sobre uma possível mudança nos planos de enfrentamento ao novo vírus, Mandetta afirmou que não tem como prever o que irá ocorrer, mas que a luta contra a nova doença é um fator constante de imposições, ora por parte do vírus, ora por parte da população. “O vírus não negocia com ninguém”, destacou o ministro ao mencionar a realidade dos Estados Unidos quanto a Covid-19.

Nesta mesma entrevista, Mandetta reforçou que havia negado o pedido de demissão do secretário de Vigilância em Saúde Wanderson de Oliveira pedir demissão. "Entramos no ministério juntos, estamos no ministério juntos e sairemos do ministério juntos", destacou.

A entrevista foi realizada por telefone, na tarde desta quarta-feira, 15. Ainda segundo a revista Veja, o tom da fala de Mandetta foi de “desabafo e despedida”. O ministro descartou os boatos de que estaria planejando se candidatar a governador de Mato Grosso ou Goiás e negou que voltaria a ser parlamentar — ele foi deputado federal.

Mandetta completou sua fala afirmando que o maior desafio não foi ser ministro da saúde durante a pandemia, mas sim precisar se afastar de sua família em alguns períodos da vida. Sobre o que fará após a saída do governo Bolsonaro, ele relembrou que pode ajudar informalmente qualquer governo que solicite sua ajuda, mas que irá se dedicar a sua família. “Agora tenho de trabalhar, ganhar o pão. Tenho meus filhos na faculdade ainda, tenho um netinho”, finalizou.

ALAN MAGNO / O POVO ONLINE

Um comentário:

Tecnologia do Blogger.