Jovem que filmou agressão policial é ameaçado


O rapaz responsável pela gravação do vídeo de um policial agredindo um adolescente em Salvador afirmou que teve que sair de casa por medo de represália. Em entrevista ao jornal Correio 24 Horas, o jovem, que não quis se identificar, disse que a ação da polícia no bairro onde ele mora sempre foi violenta.

No vídeo, divulgado nas redes sociais, um policial aparece dando socos e chutes em um adolescente de 16 anos. Durante a ação, o PM tirou o boné do rapaz e comentou sobre o cabelo dele. “Você para mim é ladrão, você é vagabundo. Olha essa desgraça desse cabelo aqui… essa desgraça aqui”, disse o policial. Segundo o autor do vídeo, as imagens foram gravada no último domingo (2).

De acordo com o rapaz, ele também já foi vítima de abordagens truculentas da polícia, há cerca de 5 meses. O jovem relata ainda que já presenciou outras pessoas sendo abordadas e insultadas por agentes por causa do cabelo e da forma de se vestir.

Sobre a gravação do vídeo da agressão, ele afirmou ter pensado que não haveria tanta repercussão. “Eu vi a ação, achei errado e decidi gravar”, disse.

Após as imagens viralizarem nas redes sociais, o jovem conta que passou a receber ameaças. “Eu não posso ficar a mercê do que estão comentando, me disseram para abrir o olho”, afirmou. O rapaz foi acolhido por membros do Coletivo de Entidades Negras (CEN).

“Minha família está horrorizada porque eu nem posso pensar em ir lá. A minha mãe está me perguntando porque eu fiz isso de ter gravado. Estou com medo de que algo aconteça comigo ou com a minha família”, disse o jovem ao Correio.

O Coletivo de Entidades Negras informou que a corregedoria da Polícia Militar está sendo acionada pelos advogados da entidade sobre as ameaças.

PM vai ser investigado
A Polícia Militar da Bahia informou, em nota, que o vídeo com as agressões do policial será encaminhado para a Corregedoria Geral da PM. “A PM não preconiza com a violência e rechaça todo e qualquer tipo conduta violenta. Os fatos serão apurados”, informou. Ainda não há informações sobre o dia exato em que a ação aconteceu.

Pelo Twitter, o governador da Bahia, Rui Costa (PT), disse não admitir o comportamento violento do policial. “ É inaceitável, inadmissível e não reflete o comportamento e os ideais da instituição”, escreveu.

“Determinei apuração rigorosa e imediata da Corregedoria da Polícia Militar com as devidas punições legais aos responsáveis e divulgação para a sociedade das medidas adotadas. Para que esses casos isolados não possam continuar comprometendo a imagem da instituição”, informou o governador.

ISTOÉ

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.