Cabeleireiro morre após abordagem policial no Ceará; Caso gera protestos


Moradores do Bairro Barroso, em Fortaleza, realizaram um protesto durante o velório do cabeleireiro Aldicélio da Silva Frazão, de 31 anos, nesta quinta-feira (2). Os vizinhos denunciam que o jovem morreu em decorrência de um caso de violência policial. A Polícia Militar afirma que o homem passou mal, recebeu primeiros socorros e levado a uma unidade de saúde após desmaiar.

Um grupo de 100 manifestantes queimou madeiras e fechou as ruas Amâncio Pereira e Emiliano de Almeida Braga. A Polícia Militar interveio com balas de borracha e spray de pimenta e dispersou o protesto, no início da noite desta quinta (2). O Corpo de Bombeiros apagou o fogo.

Aldicélio Frazão morreu na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Bairro José Walter, em Fortaleza, na quarta-feira (1º). Ele estava internado desde 28 de dezembro, sob escolta policial.

A família do cabeleireiro afirmou ao G1 que ele foi "espancado e torturado" por policiais militares, que estiveram no local onde o cabeleireiro morava e trabalhava.

Moradores denunciam suposto caso de violência policial e protesta após morte de cabeleireiro — Foto: Arquivo pessoal
"Reviraram tudo na minha casa. Levaram meu irmão lá para cima e mataram meu irmão. Ele saiu daqui e foi diretamente pra UTI [Unidade de Tratamento Intensivo]. Mas ele foi para a UPA e [os policiais] disseram que acharam ele afogado. Mas não foi assim", rebateu a irmã de Aldicélio, Leica Frazão.

Homem 'passou mal', diz polícia
A Polícia Militar informou, em nota, que policiais do Comando de Policiamento de Choque (CPChoque) foram averiguar uma denúncia e, na residência de Aldicélio Frazão, apreenderam um revólver e munição, além de 55 gramas de maconha e 48 gramas de cocaína.

"Logo após serem localizados os materiais ilícitos e ser indagado sobre sua origem, o suspeito começou a passar mal e vomitar. Objetivando restabelecer o bem-estar do abordado, os PMs realizaram procedimentos para desobstrução das vias aéreas, não obtendo êxito e vindo ele a desmaiar. A composição, portanto, socorreu Audicélio à Unidade de Pronto Atendimento do Bairro José Walter, vindo a óbito ontem, 1ª de janeiro", completou a PM.

Investigações do caso
Na nota, a Polícia Militar afirmou que, diante da denúncia, "o Comando de Policiamento de Choque - CPChoque apurará todas as circunstâncias da mencionada ocorrência policial".

A Controladoria Geral de Disciplina dos Órgãos de Segurança Pública e do Sistema Penitenciário (CGD) informou, por meio de nota, "que determinou averiguação dos fatos narrados e, caso seja identificada transgressão disciplinar, instaurará investigação preliminar de imediato para a devida apuração na seara administrativa. As investigações possuem caráter sigiloso".

G1/CE

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.