Paciente da UTI do HRN retorna após alta para agradecer atendimento recebido


Acometido por uma apendicite supurada (quando o apêndice se rompe após inflamação), o motorista Caíque Ferreira, 30, foi transferido em estado grave para o Hospital Regional Norte (HRN), da saúde do Ceará, administrado pelo Instituto de Saúde e Gestão Hospitalar (ISGH), no final de maio de 2019. Após ficar cerca de dois meses internado na unidade, em especial, na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), Caíque retornou ao hospital para agradecer aos profissionais da UTI e contar sua história.

“Durante os dois meses em que estive internado, eu quase morri três vezes, mas graças a Deus e ao preparo da equipe do HRN, eu estou aqui vivo, para contar toda essa história. Tive algumas dificuldades e vitórias, e agradeço a todos da equipe que foram muito atenciosos e não deixaram faltar nada na minha recuperação”, ressalta.

O paciente lembra que o primeiro atendimento aconteceu no seu município de origem, em Reriutaba, distante 70 km da cidade de Sobral, mas a gravidade do apêndice não foi diagnosticada a tempo e por isso, ele foi transferido. Antes de chegar ao HRN, ainda chegou a fazer uma cirurgia em outro hospital, mas foi transferido de imediato para a unidade.

“Eu precisei fazer quatro cirurgias por causa de uma apendicite que chegou a estrangular e na minha cidade não teve um diagnóstico rápido. Quando cheguei no HRN, já estava bastante avançada, supurada e com vários riscos”, lembra.

Caíque Ferreira também agradece por poder ter estado mais tempo ao lado da esposa, Lucielma Maria, nos momentos mais desafiantes da internação na UTI Adulto.

“O melhor momento foi quando eu estava com a minha esposa. Quando ela ia embora, eu não ficava só porque era atendido por todos, mas ficava sentindo aquela solidão. Para mim era muito bom ter alguém comigo da minha família”, rememora.

Para o coordenador de enfermagem da UTI Adulto, Diego Pinheiro, é gratificante o retorno dos pacientes que têm uma experiência positiva. “Além de traçarmos que o paciente saia estabilizado e recuperado sem eventos adversos da UTI, ficamos imensamente felizes quando se tem uma fala de um paciente relatando uma experiência positiva. Um depoimento desses nos torna mais humanos. Se com críticas a equipe aprende, com o agradecimento a equipe se torna mais motivada”, avalia o especialista.

Visita estendida na UTI

A UTI do HRN conta com o projeto de Visita Estendida com o objetivo de ampliar a participação de familiares na recuperação do paciente em UTI adulto, com indicações claras: a visita estendida, na qual os familiares estarão presentes na UTI por tempo maior (8 às 12 horas e de 14 às 18 horas) que o determinado para a visita de rotina e o acompanhante, em que o paciente terá um acompanhante durante as 24 horas do dia.

A avaliação da necessidade da ampliação da participação familiar é feita no round diário e, após haver a indicação, os familiares são informados e convidados a participarem. Os familiares são estimulados a participarem na prevenção de Infecção Relacionada à Assistência à Saúde (IRAS) e nas visitas multiprofissionais.

TERESA FERNANDES / ASCOM HRN

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.