Fabio Carille poderá irritar ainda mais a torcida do Corinthians neste fim de ano


Fábio Carille admitiu que o Corinthians passa por dificuldades em campo e atribuiu boa parte desse problema a ausência de características ideais em seu elenco que casem com a maneira da equipe jogar. Para o comandante, falta jogador de velocidade, que dê profundidade e um meia que chegue mais perto do centroavante.

Apesar disso, Carille deixou claro, após a derrota para o São Paulo, que não vai mudar a formação tática do Corinthians para o restante da temporada. O tema ganhou destaque também depois da entrevista de Mauro Boselli, na última quarta-feira.

“Não tenho tempo para isso, cara. A gente não tem tempo, jogamos quinta, hoje (domingo) e já tem jogo quarta-feira. Você faz muito pouco, não tem tempo. Eu acredito muito nesse sistema, o clube também, falamos isso numa reunião ontem (sábado) sobre a questão de planejamento, e temos de atacar nisso para que o Corinthians volte a ser forte”, afirmou.

“Por incrível que pareça, estamos em quarto. Não dá para entender. O que está jogando não era para estar em quarto. Era para estar fora da zona de classificação da Libertadores. Então, alguma coisa tem de bom. A entrega, a vontade, organização defensiva. E a gente tem que acrescer na parte ofensiva, e eu estou tendo dificuldade de fazer isso”, reconheceu.

Uma das mudanças mais pedidas por parte da imprensa e da torcida é a mudança de posicionamento de Pedrinho, talvez o grande destaque do Corinthians na temporada. Mas, nem isso deve ocorrer.

“Tentei fazer isso contra Vasco, jogando Ramiro pelo lado e não funcionou. Pedrinho eu acompanho desde o Sub-17, nunca vi jogar por dentro, sempre foi Fabrício (Oya) de 10 e ele fazendo a ponta (na base). Ele faz o Fagner jogar, uma mudança dessa, que eu queria testar na Copa América e não consegui, precisa de tempo. Sem tempo não vou fazer mudanças”, avisou, antes de relatar como pretende fazer a equipe melhorar.

“Primeiro é retomar a confiança, acho que a gente perdeu a confiança. Deu uma resposta muito boa na volta da Copa américa, estou sentindo alguns jogadores importantes com a confiança um pouco pra baixo”.

Um desses atletas é Clayson, atacante que Carille tanto admira, mas não vive grande fase. Mesmo assim, o comandante fez questão de proteger o jogador.

“Não vamos começar a direcionar um jogador, porque tem muitos jogadores abaixo, não é de hoje, e esses jogadores têm de ter uma retomada no Corinthians”, concluiu o treinador.

GAZETA PRESS

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.