Primeiro dia da Semana do Clima tem discussões sobre futuro climático


Começa na manhã de hoje a Semana Latino-Americana e Caribenha sobre Mudança do Clima, realizada pela Organização das Nações Unidas (ONU) em Salvador. O evento segue até a próxima sexta-feira (23).

A Semana do Clima reunirá líderes, formuladores de políticas, atores regionais e globais para discutir ações climáticas para a região. Mais de 3,5 mil pessoas se inscreveram para participar, sendo 40% de fora da cidade.

O evento foi alvo de polêmica três meses antes de sua realização, após o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, anunciar o cancelamento da semana e, em seguida, voltar atrás.

Na época, o ministro havia dito que o cancelamento se daria porque o Brasil já havia desistido de sediar a Conferência do Clima da ONU, a COP 25, que ocorrerá em dezembro e foi transferida para o Chile. "Vou fazer uma reunião para a turma ter oportunidade de fazer turismo em Salvador, comer acarajé?", declarou ao blog da Andréia Sadi na ocasião.

O evento ocorre em meio à discussão sobre o aumento do desmatamento na floresta amazônica e aos anúncios de suspensão das doações da Noruega e da Alemanha ao Fundo Amazônia. Neste domingo (18), governadores de oito estados da região da Amazônia Legal divulgaram nota na qual lamentam que posições do governo brasileiro tenham levado à suspensão dos repasses para a preservação da Amazônia.

O presidente Jair Bolsonaro havia criticado a divulgação de dados sobre desmatamento pelo órgão federal responsável pelo monitoramento, o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe).

Além disso, Bolsonaro disse que o Brasil não precisa do dinheiro alemão para preservar a floresta e que o país europeu estaria tentando comprar a Amazônia. Também disse que a Noruega "não tem nada a dar exemplo para nós".

Governadores da Amazônia Legal lamentam posições do governo brasileiro

Evento pré-COP 25
A programação da Semana Latino-Americana e Caribenha sobre Mudança do Clima em Salvador tem workshops, passeio ciclístico, palestras sobre o meio ambiente e mudanças climáticas, com a presença de representantes de 26 países. [Confira a programação abaixo]

Segundo a prefeitura da capital baiana, as inscrições foram gratuitas e ocorreram até a última sexta-feira (16) pelo site da Semana do Clima. Os cantores e compositores Gilberto Gil e Carlinhos Brown se apresentarão como parte da programação da Semana do Clima.

O encontro, organizado pela Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudança do Clima (UNFCCC), é um dos eventos preparatórios da COP 25, que será realizada em dezembro, em Santiago, no Chile — evento que o governo brasileiro desistiu, em novembro de 2018, de sediar.

O encontro na capital chilena é destinado à implementação do Acordo de Paris, que visa combater as mudanças climáticas.

Acordo de Paris
Assinado em dezembro de 2015 e em vigor desde novembro de 2016, o Acordo de Paris criou metas para que os países consigam manter o aquecimento global abaixo de 2ºC, buscando limitá-lo a pelo menos 1,5ºC. O tratado mundial prevê a redução da emissão de gases que aumentam a temperatura do planeta.

Os países ricos devem garantir um financiamento de US$ 100 bilhões por ano, e os compromissos deverão ser revistos a cada 5 anos. Ou seja, em 2020 haverá uma nova reunião-chave internacional para calibrar as metas e garantir uma melhor preservação do planeta.

Durante a campanha eleitoral, no ano passado, Bolsonaro disse que poderia retirar o Brasil do Acordo de Paris. Em dezembro, já eleito, afirmou que só iria sair se o acordo não fosse alterado.

No início do ano, em encontro com executivos no Fórum Econômico Mundial de Davos, na Suíça, o presidente disse que, por ora, o Brasil não deixaria o acordo.

G1/BA

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.