EUA vão aumentar deportações rápidas com nova regra


O governo Trump disse nesta segunda-feira que irá expandir e acelerar as deportações de imigrantes que entrarem nos Estados Unidos ilegalmente ao retirar a necessidade de supervisão judicial, permitindo que as autoridades removam as pessoas em questão de dias, ao invés de meses ou anos.

A medida, que deverá ser publicada no Registro Federal na terça-feira, irá aplicar "remoção acelerada" para a maioria dos que adentram os Estados Unidos ilegalmente, a não ser que eles consigam provar que estão morando no país há pelo menos dois anos.

Especialistas dizem que o ato é uma expansão dramática de um programa já utilizado ao longo da fronteira entre Estados Unidos e México e que elimina a necessidade de uma revisão dos casos por um juiz de imigração, normalmente sem acesso a um advogado. Ambos estão disponíveis em procedimentos regulares.

"O governo Trump está avançando na transformação do ICE (Autoridade de Alfândega e Imigração, na sigla em inglês) em um exército do 'mostre-me seus documentos'", disse Vanita Gupta, presidente da Conferência de Liderança em Direitos Humanos e Civis, em uma teleconferência com jornalistas.

É provável que a medida seja bloqueada rapidamente pela Justiça, disseram especialistas. A União Americana de Liberdades Civis, que entrou com inúmeras ações para combater a política de imigração de Trump nos tribunais, já prometeu tomar medidas legais.

O presidente Donald Trump tem tido dificuldades para combater o aumento da chegada de famílias, a maioria delas vindas da América Central, na fronteira dos Estados Unidos com o México, o que tem levado a superlotações nas instalações de detenção de imigrantes, e a uma batalha política diante de uma crescente crise humanitária.

O governo disse que o aumento das deportações rápidas liberaria espaços nos centros de detenção e aliviaria as tensões nos tribunais de imigração, que atualmente lidam com um acúmulo de mais de 900 mil casos.

REUTERS

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.