Delação da Odebrecht não explica pagamento de R$ 14 milhões, diz jornal


A delação premiada da Odebrecht, acertada em acordo com o MPF (Ministério Público Federal) em dezembro de 2016, não explica o pagamento de ao menos R$ 14 milhões em dinheiro vivo a codinomes criados pela empreiteira no período de maio de 2013 a maio de 2015, segundo reportagem do Estado de S. Paulo desta 2ª feira (8.jul.2019).

O jornal recorreu a arquivos da Transnacional, empresa transportadora de valores usada pela empreiteira para a entrega de pagamentos ilícitos, entregues à Polícia Federal por 1 ex-funcionário. Na comparação disso com a programação semanal de pagamentos feita pelo Setor de Operações Estruturadas da Odebrecht –departamento de propina da empreiteira–, uma série de codinomes e pagamentos ficam sem explicação.

Os R$ 14 milhões não esclarecidos foram entregues em dinheiro vivo em prédios comerciais de São Paulo.

Codinomes
Alguns arquivos revelam 4 pagamentos, que somam R$ 2 milhões, para Aldemir Scarpin, entregues de fevereiro a abril em 1 prédio comercial na avenida Faria Lima, em Pinheiros, bairro nobre da cidade. As informações desses pagamentos coincidem com os repasses vinculados ao codinome “Sócio 1”, que estaria relacionado à obra Blumenau, de Santa Catarina.

Na época, Scarpin era o diretor financeiro da Engeform, sócia da Odebrecht em 1 consórcio de saneamento público de Blumenau. Não há a confirmação, porém, de que o codinome “Sócio 1” está relacionado a Scarpin, porque isso não foi citado pelos delatores. Segundo o Estadão, Scarpin foi procurado por telefone, mas não respondeu os questionamentos.

Outros apelidos também não foram identificados pelas colaborações. É o caso do “Avesso”, “Babaçu”, “Crente”, “Dr. Silvana” e “Leleco”. Os documentos incluem 2 codinomes vinculados à Arena Corinthians, construída pela empreiteira em 2014: “Papai Noel” e “Azeitona”. As identidades dos beneficiários não foram reveladas ou divulgadas.

Uma das obrigações dos delatores, após a assinatura dos acordos de colaboração, é identificar os codinomes e dizer à qual obra os pagamentos estão relacionados.

Maiores valores

  • “Príncipe”
Valor: R$ 3.500.000
Local da entrega: R. Sampaio Viana, 180
Data da entrega: Março e abril de 2015
  • “Social”
Valor: R$ 2.380.000
Local da entrega: Av. B. Faria Lima, 3.989
Data da entrega: Fevereiro e março de 2015
  • “Sócio 1”
Valor: R$ 2.000.000
Local da entrega: Av. B. Faria Lima, 1.931
Data da entrega: Fev., março e abril de 2014
  • “Fraco”
Valor: R$1.000.000
Local da entrega: R. L. Paulistanos, 670
Data da entrega: Julho de 2014
  • “Babaçu”
Valor: R$ 670.000
Local da entrega: R. Jesuíno Arruda, 806
Data da entrega: Outubro de 2014
  • “Bandeira”
Valor: R$ 600.000
Local da entrega: R. da Quitanda, 937
Data da entrega: Outubro de 2014
  • “Papai Noel”
Valor: R$ 500.000
Local da entrega: R. Ouro Branco, 150
Data da entrega: Fevereiro de 2014
  • “Crente”
Valor: R$ 500.000
Local da entrega: Av. Paulista, 2.355
Data da entrega: Outubro de 2014
  • “Parreira”
Valor: R$ 466.000
Local da entrega: R. Iguatemi, 150
Data da entrega: Setembro de 2014
PODER 360

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.