Após racha interno, PSL Ceará deve lançar campanha de filiação

Heitor Freire foi reconduzido ao cargo de presidente estadual do PSL no Ceará / Foto: Agência Câmara
O PSL deve lançar nacionalmente uma campanha para novas filiações à legenda no próximo dia 17 de agosto. A executiva nacional tem projetos ambiciosos para o número de novos associados. Com 270 mil filiados atualmente, o PSL tem como meta chegar a 500 mil até 31 de março de 2020 e a 1 milhão em outubro do mesmo ano.

Contudo, os planos feitos pelas lideranças nacionais podem ser impossibilitados pelas divisões internas que se espalham nos diretórios e comissões provisórias nos estados. No Ceará, os principais nomes do partido têm se enfrentado — inclusive judicialmente.

Os deputados estaduais André Fernandes e Delegado Cavalcante protocolaram pedido de afastamento, na executiva nacional da legenda, do presidente estadual do partido, deputado federal Heitor Freire. Antes disso, Freire havia dissolvido o diretório municipal de Fortaleza, no qual Fernandes exercia o cargo de presidente.

O pedido gerou troca de ofensas públicas entre os três parlamentares — principalmente entre Freire e Fernandes —, com o primeiro ingressando com ação por danos morais contra o segundo. Em meio à disputa entre os únicos três deputados eleitos em 2018 pela sigla, Freire foi reconduzido à presidência estadual do PSL.

Procurado, Freire negou qualquer desentendimento entre lideranças do PSL no Estado, que "continuam uníssonos a favor de um partido mais forte". Sobre o pedido de afastamento do qual foi alvo, afirma que a recondução à presidência foi "um reconhecimento do trabalho realizado". Na campanha de filiação, "o partido segue firme sob minha liderança", enfatiza.

Apesar das metas anunciadas pela executiva nacional, o parlamentar afirmou que o objetivo a nível estadual só será divulgado em agosto, por ainda estar sendo "formatado". Atualmente, são pouco menos de 12,8 mil filiados no Estado.

Quanto aos critérios, Freire diz querer "pessoas de sangue novo, alinhadas ao governo Bolsonaro, conservadoras, que corroborem com os nossos ideais de liberdade econômica, valorizando a família, o direito à legítima defesa".

O POVO entrou em contato com André Fernandes e Delegado Cavalcante diretamente e por meio das assessorias de imprensa e não houve retorno até o fechamento da edição do jornal.

Disputa
Em São Paulo, também há disputa, quanto à candidatura para a Prefeitura da capital. Joice Hasselmann é apoiada por parte das lideranças, enquanto o Eduardo Bolsonaro tenta articular outro candidato.

LUANA BARROS / O POVO ONLINE

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.