Imprensa é barrada em evento que não teve primeira-dama

MINISTRA Damares aproveitou passagem por Fortaleza para representar Michelle Bolsonaro em solenidade (Foto: Deísa Garcêz/Especial para O Povo)
Veículos de imprensa foram impedidos de ter acesso à solenidade de entrega do título de cidadã fortalezense a Michelle Bolsonaro. A primeira-dama foi representada pela ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos (MMFDH), Damares Alves. Michelle cancelou a visita a Fortaleza no último domingo, 23.

A solenidade ocorreu na tarde de ontem, no Colégio Militar. Não foram informadas as razões para o cancelamento da viagem de Michelle, apenas que tinham sido "de ordem pessoal".

Após contato com diferentes assessorias de imprensa, a entrada foi permitida nos quinze minutos finais de solenidade, sendo possível aos repórteres acompanhar apenas uma oração realizada, a reprodução do Hino de Fortaleza e a finalização do evento.

A impossibilidade de acesso à imprensa seria por "motivos de segurança", informou a organização, sem especificar como os veículos de comunicação colocariam em risco a segurança da primeira-dama. Mesmo com o cancelamento de Michelle Bolsonaro, não houve alteração e a entrada da imprensa continuou vetada.

Apenas os veículos ligados à Câmara Municipal de Fortaleza — órgão que concedeu o título a Michelle Bolsonaro — tiveram acesso ao evento na íntegra. Em entrevista ao site da Casa, Damares Alves destacou que a primeira-dama trabalha para ampliar programas de voluntariado no País.

"Ela acredita na força do povo brasileiro e está agora com um desafio grande de assumir o maior voluntariado que o País já viu, e me disse que pretende iniciar esse projeto pelo Ceará. Ela tem uma paixão pelo Ceará e pelo Nordeste, e quer mudar a realidade do sertão nordestino", destacou Damares.

Ausente no evento em sua homenagem, Michelle Bolsonaro gravou uma mensagem em vídeo agradecendo a concessão do título. "Me sinto agraciada não só pelos laços familiares mas também pelo amor que tenho por esta terra. Seguirei na minha luta para que o Ceará seja representado", destacou Michelle no vídeo divulgado pela Câmara Municipal.

O tratamento dado à imprensa na solenidade difere do primeiro compromisso de Damares Alves ontem na Capital. Pela manhã, ela esteve no Centro-DIA, centro de referência para pessoas idosas, na Barra do Ceará. Veículos de comunicação tiveram total acesso. A ministra visitou as instalações da instituição, além de assistir apresentações dos grupos de idosos.

A ministra fez o lançamento do Programa Viver — Envelhecimento Ativo e Saudável, que doou equipamentos para a inauguração do laboratório de informática para o centro. A ministra elogiou as instalações do local e disse que estava aqui para aprender e ampliar a experiência do centro. "É um modelo pioneiro. A gente vem mesmo com a proposta ousada é de Centro-DIAs em todo o Brasil e o governo Bolsonaro quer dar incentivo", afirmou.

O programa Viver tem como objetivo a inclusão digital da população idosa. Em Fortaleza, foi inaugurada a 6ª unidade do país, que deve alcançar as mil até o final do ano, projeta Antônio Costa, secretário nacional de Promoção e Defesa dos Direitos da Pessoa Idosa. "Quando nós trazemos a inclusão digital, nós estamos trazendo conhecimento e estamos trazendo à visibilidade essa população, que é invisível", afirma.

A escolha por Fortaleza foi feita a pedido da vereadora Priscila Costa (PRTB), mas também pelo histórico de políticas públicas para pessoas idosas na Capital. "A vereadora Priscila nos apresentou a experiência e aqui faltava essa inclusão digital, então a gente veio só para somar o que está acontecendo aqui", acrescenta Damares.

DESGASTE
Apenas quatro vereadores, incluindo Priscila Costa (PRTB), autora da proposta de título de cidadã fortalezense para Michelle Bolsonaro, estiveram presentes na solenidade. Nos corredores da Câmara, parlamenta-res diziam que o título já havia gerado muito 'desgaste' e preferiam não estar presentes.

LUANA BARROS / O POVO ONLINE

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.