Apoiadores de Bolsonaro defendem boicote ao Burger King após ação de marketing


Após ter elaborado uma ação de marketing em que faz uma indireta ao veto de Jair Bolsonaro à propaganda do Banco do Brasil, a rede de fast food Burger King tem sido alvo de represálias nas redes sociais. Como resposta à campanha, apoiadores do presidente Jair Bolsonaro ficaram furiosos e criaram uma campanha digital para boicotar a empresa. No Twitter, o assunto mais comentado é justamente #BoicoteBurgerKing. Pessoas também escrevem frases como “Quem lacra não lucra”.

A propaganda mostrava jovens, a maioria negros, fazendo poses para tirar selfie do celular. Os atores aparecem dançando e fazendo poses para a foto, simulando o uso do app do banco. Sem citar o nome do banco, mas buscando deixar claro do que se tratava, a ação da lanchonete tinha como objetivo escalar os atores boicotados na propaganda, tirada do ar recentemente a pedido do presidente:

“Procura-se elenco para comercial. O Burger King está recrutando pessoas para seu novo comercial. Para participar, basta se encaixar nos seguintes requisitos: ter participado de um comercial de banco que tenha sido vetado e censurado nas últimas semanas. Pode ser homem, mulher, negro, branco, gay, hétero, trans, jovem, idoso. No Burger King, todo mundo é bem-vindo. Sempre”.

Em seu perfil no Twitter, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) reagiu à campanha do fast food que convoca para vídeo publicitário participantes “de um comercial de banco que tenha sido vetado e censurado nas últimas semanas”.



O POVO ONLINE

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.