Pilotos do avião da Ethiopian Airlines seguiram recomendações da Boeing


Os pilotos do Boeing 737 Max 8 da Ethiopian Airlines que caiu em 10 de março, acidente que matou 157 pessoas, seguiram "várias vezes" os procedimentos recomendados pela Boeing, mas não conseguiram recuperar o controle do avião, afirmou a ministra etíope dos Transportes.

"Os pilotos realizaram várias vezes todos os procedimentos indicados pela fabricante, mas não foram capazes de controlar o avião", disse Dagmawit Moges, ao apresentar os resultados da investigação preliminar sobre o acidente.

O relatório preliminar recomenda que "o sistema de controle de voo da aeronave passe por uma revisão pela fabricante" americana", completou.

"As autoridades de aviação devem verificar se a revisão do sistema de controle de voo do avião foi efetuada de modo correto pela fabricante", antes que a frota de Boeing 737 MAX, paralisada em todo o mundo desde o acidente, seja autorizada a voar novamente, ressaltou a ministra.

Dagmawit não fez referência ao Sistema de Estabilização de Aeronaves, batizado como Sistema de Aumento de Características de Manobras (MCAS), suspeito de ter desempenhado um papel crucial no acidente, mas destacou que o avião inclinou o nariz para baixo diversas vezes.

O MCAS foi projetado especialmente para que o 737 MAX corrija uma anomalia aerodinâmica relacionada com um motor mais pesado.

Em uma instrução às tripulações em 6 de novembro, a Boeing explicou que um erro no segundo sensor que mede o ângulo de ataque (AOA) poderia levar o MCAS a colocar a aeronave em posição de "despencar".

AFP

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.