Parlamento britânico rejeita propostas alternativas para o Brexit


O Parlamento britânico rejeitou todas as alternativas para o Brexit submetidas nesta segunda-feira à votação.

A Câmara dos Comuns se manifestou sobre quatro propostas para resolver o impasse quanto à saída do Reino Unido da União Europeia (UE), entre elas uma união aduaneira e um acordo semelhante ao da Noruega, em que o Reino Unido permaneceria no mercado comum europeu. Nenhuma delas obteve maioria.

O plano negociado pela primeira-ministra, Theresa May, com a UE já foi rejeitado em duas votações por ampla margem no Parlamento.

O resultado das votações desta segunda não seria juridicamente vinculante, ou seja, o governo não seria obrigado a cumprir as propostas caso elas fossem aprovadas.

O governo também não conseguiu o apoio da maioria dos parlamentares sobre o acordo para a saída do país do bloco, sem colocar em votação uma declaração política sobre as relações futuras entre o Reino Unido e a UE.

May tem agora até 12 de abril para fazer com que a UE aprove uma nova extensão do prazo para o Brexit ou decidir deixar o bloco sem um acordo.

Cenário incerto
Após ter sua proposta de que o Reino Unido permanecesse no mercado comum europeu rejeitada, o parlamentar Nick Boles anunciou que sairá do Partido Conservador. "Fiz tudo que podia para que fossem feitas concessões para se chegar a um acordo", disse ele.

O secretário do governo para o Brexit, Stephen Barclay, disse que a "única opção" que resta é buscar uma forma de se chegar a um acordo sobre a saída da UE.

"O governo continua a acreditar que este é o melhor caminho a ser seguido e que é melhor fazer isso o quanto antes", disse ele.

"Se a Câmara aprovar um acordo nesta semana, pode ainda ser possível evitar a realização de eleições para o Parlamento europeu (no Reino Unido)."

O líder do Partido Trabalhista, Jeremy Corbin, disse ser "decepcionante" que nenhuma das quatro propostas tenha obtido maioria, mas fez questão de lembrar os parlamentares que o acordo de May já havia sido "amplamente rejeitado".

"Se a premiê teve três chances de aprovar seu acordo, sugiro à Câmara que haja a oportunidade de avaliar de novo as opções que temos diante de nós (...) para que a Câmara possa ter sucesso onde a premiê falhou - em propor uma relação econômica crível com a Europa que nos impeça de deixar a UE sem um acordo."

BBC NEWS

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.