Fortaleza e Ceará fazem pedido e jogo da final terá utilização do VAR

Árbitro do primeiro Clássico-Rei da final, Rafael Claus aplicou seis cartões amarelos e dois vermelhos | Foto: THIAGO GADELHA
A final do Campeonato Cearense de 2019, entre os dois gigantes Ceará e Fortaleza, já estará na história por pela 1ª vez ter o uso do VAR (árbitro de vídeo), Na final deste domingo,21, às 16 horas no Castelão, no 2º jogo da decisão.

O método, que já vem sendo utilizado em outros campeonatos estaduais, como o Paulista, Carioca e Mineiro, como também na Copa do Brasil. A decisão aconteceu na terça-feira, após o Fortaleza solicitar o equipamento, ainda na semana passada, com pedido encaminhado para a FIFA, por meio da Confederação Brasileira de Futebol (CBF).

“A gente só tem a agradecer a CBF, por meio da Comissão Nacional de Arbitragem, que mesmo com a decisão repentina do pedido, na semana passada, deu condições para nós trazermos essa novidade, essa segurança para o futebol cearense, principalmente porque outras federações tentaram e não conseguiram”, disse o presidente da FCF, Mauro Carmélio.

O presidente da CEAF, Comissão Estadual de Árbitros de Futebol, Paulo Silvio, explicou alguns detalhes de como será implantado o VAR nesse segundo jogo da final. Ele disse que na quarta-feira passada, foi escolhida a sala onde ficarão os árbitros que trabalharão no VAR. Será o Estúdio 2, uma sala vizinha ao auditório de entrevistas e o monitor do árbitro da partida ficará atrás do banco onde fica o representante da Federação Cearense de Futebol, bem no centro.
“Haverá uma palestra nessa sexta-feira de um instrutor da CBF para Ceará e Fortaleza, explicando como os jogadores devem se comportar em relação ao VAR”, explicou Paulo Silvio.

Além disso, há outro detalhe importante: Por determinação da Fifa, terá de haver um jogo real, antes da decisão, para que seja feito o teste de toda a ferramenta. Pode ser um jogo Sub-17 ou outro qualquer e acontecerá possivelmente no sábado pela manhã. A partida ainda será escolhida pela FCF.

Comunicação

O árbitro assistente que fica na cabine, se comunica diretamente com o árbitro da partida, por rádio, e somente com ele, não com os assistentes. No momento em que o árbitro de campo colocar a mão no ouvido, significará que está entrando em contato com a cabine e como tal, não pode ser incomodado pelos jogadores.
Ainda de acordo com Paulo Silvio, somente a tecnologia em si, custará aos clubes R$ 28 mil, mas há ainda o custo das 13 pessoas envolvidas, técnicos e árbitros. Tudo isso vai encarecer o processo. Além disso, o Campeonato Cearense precisará ser homologado pela Fifa, por utilizar o VAR e assim sendo, há uma outra taxa a ser paga por esse aspecto.

O Fortaleza havia feito a solicitação de árbitro Fifa e VAR, para o primeiro jogo da decisão e não houve tempo hábil para a homologação do uso do equipamento.

Situações

Para o torcedor não familiarizado com o uso do VAR e suas regras, a equipe que o opera só deve interferir no jogo quando há um erro da arbitragem. Mas não são todos os momentos do jogo que isso pode acontecer. A participação do VAR se resume em 4 situações: gols, pênaltis, aplicação de cartão vermelho direto e erro de identificação de atletas.

A intenção dos clubes era que no primeiro jogo da decisão já houvesse o VAR, devido às inúmeras reclamações dos clubes Ceará e Fortaleza sobre erros cometidos pela arbitragem, principalmente por parte dos técnicos Rogério Ceni e Lisca.

Ceará

O gerente de futebol do Ceará, Marcelo Segurado acredita que o equipamento é válido mas que os árbitros precisam estar qualificados, mas que o ideal seria utilizado no campeonato cearense inteiro, não só na decisão do Estadual.

“Eu vejo o VAR como uma inovação, como tudo que se torna moderno na vida, uma tecnologia que veio para ficar. Sei que no início, assim, pode ter percalços, mas quando tivermos todas as pessoas envolvidas devidamente qualificadas, quando os árbitros estiveram bem treinados e habilitados a usar essa ferramenta, será algo que terá vindo para ficar. O ideal é que fosse o campeonato todo, como vai ocorrer no Campeonato Brasileiro, mas já foi um avanço. Espero que venha minimizar os erros”, disse.

Fortaleza
O presidente do Fortaleza, Marcelo Paz, deu uma opinião sobre essa ferramenta nova no Campeonato Cearense. “Eu acho que o VAR é um das melhores invenções do futebol nos últimos anos. Ele visa ao que é justo dentro do espetáculo. Evita erros de arbitragem, previne decisões que possam prejudicar todo um trabalho. E ele é imparcial, então eu acho muito bacana. O Fortaleza fez a solicitação, mas de comum acordo com o Ceará e o custo será dividido entre os dois clubes e dará em torno de R$ 50 mil, disse. “É um valor muito alto, mas tem um custo aí que é o da homologação, mas que será apenas uma vez, completou Paz”.

Arbitragem
Em seguida, a Comissão de Arbitragem da Federação Cearense de Futebol (FCF) divulgou que o árbitro que apita a finalíssima será definido em sorteio hoje, às 14h30, em Minas Gerais. Os juízes Anderson Daronco e Rodolpho Toski são as opções. A medida é adotada porque Ceará e Fortaleza solicitaram arbitragem externa ao Estado.
A arbitragem acima custará em torno de R$ 25 a R$ 30 mil, incluindo taxas dos árbitros Fifa, passagem e hospedagem dos cinco árbitros em campo.

DIÁRIO DO NORDESTE

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.