INSS bloqueia 529 mil benefícios por falta de prova de vida


Ao todo, 529.317 aposentados e pensionistas do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) tiveram benefícios bloqueados referentes à folha salarial de março por não fazerem a prova de vida, segundo balanço divulgado pelo instituto na terça-feira. A comprovação de vida é mandatória para continuidade do recebimento do benefício.

A medida provisória 871/19, conhecida como MP do pente-fino determinou que as suspensões dos benefícios passassem a ser automáticas para segurados que ficaram mais de 12 meses sem fazer a comprovação que estavam vivos. Antes, os bancos tinham calendários diferenciados, levando em conta data do aniversário de segurados, por exemplo para realizar os bloqueios.

A Federação Brasileira dos Bancos (Febraban) estimava que 1.334 milhão de aposentadorias e pensões pudessem ser suspensos na folha de março devido à falta de comprovação.

Além dos bloqueios por conta da falta de prova de vida, a MP do pente-fino irá verificar cerca de 3 milhões de benefícios com suspeitas de fraude, que podem ser cancelados. Entre os benefícios estão aposentadorias, pensões e auxílios por invalidez.

Os pagamentos da folha de março começaram a ser feitos no último dia 25 e seguem até o dia 5 de abril. Quem teve o benefício bloqueado pode ir ao banco fazer a prova de vida. O valor será liberado no mesmo dia. Para isso, é necessário apresentar documento com foto na instituição bancária ou fazer a comprovação por biometria.

Na terça-feira, 26, o INSS publicou uma portariaampliando as opções de prova de vida para segurados idosos. Segundo o texto,  aposentados ou pensionistas com mais de 60 anos de idade vão poder solicitar a realização da prova de vida e a renovação de senha também em agências do INSS.

Já maiores de 80 anos pessoas com dificuldade de locomoção poderão fazer a comprovação por meio de visita de servidor do instituto à casa do aposentado ou a outro local informado por ele. Nos casos específicos de dificuldade de locomoção, o requerimento para a realização da prova de vida na casa do segurado deverá ser efetuado pelo representante legal ou procurador, que deve apresentar atestado médico ou declaração sobre o estado do beneficiário emitida por uma unidade de saúde.

Todos esses serviços deverão ser previamente agendados por meio da Central 135 ou do Meu INSS.

VEJA.COM

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.