Dois adolescentes causam tragédia em escola de São Paulo; Eles levavam flechas e explosivos


Dois atiradores invadiram uma escola encapuzados e mataram pelo menos 8 pessoas na cidade de Suzano, em São Paulo, na manhã desta quarta-feira (13). Em seguida, de acordo com a Polícia, eles cometeram suicídio. Outros 10 ficaram feridos.

Dos oito assassinados, seis eram estudantes do Ensino Médio - quatro morreram no local e dois após serem hospitalizados - e duas eram funcionárias da Escola Estadual Raul Brasil.

De acordo com informações do jornal Folha de São Paulo, os atiradores possuíam entre 20 e 25 anos. Eles ainda não tiveram a identidade revelada.

Seis unidades de resgate do Corpo de Bombeiros, três do Samu, dois do suporte avançado e dois helicópteros águia foram acionados.

O governador de São Paulo, João Doria, foi à escola de helicóptero com os secretários de educação e segurança do estado.

Relato de estudante: criminosos estavam com arma e faca
O estudante Rosni Marcelo Grotliwed, de 15 anos, disse ao G1 que o ataque ocorreu durante o intervalo e que um dos criminosos tinha uma arma e outro, uma faca.

A gente estava na merenda e comendo normal e escutamos 'três pipocos'(...). Os caras vieram atrás de nós e começou a matar muita gente. Mas o pente dele descarregou e foi na hora que a gente correu

Polícia encontra artefatos explosivos em escola alvo de ataque em Suzano

Há pelo menos 15 feridos no ataque que deixou dez pessoas mortas na Escola Estadual Raul Brasil, em Suzano, na Grande SP. Os dois atiradores se mataram após o ataque. 

Segundo o coronel Salles, da Polícia Militar, antes de entrar na escola, os dois atiradores dispararam contra o proprietário de um lava rápido que fica em frente à escola. Neste momento, o homem está passando por cirurgia na Santa Casa de Suzano.

O coronel Salles disse que os atiradores entraram na escola na hora do intervalo. Primeiro, eles atiraram em uma coordenadora pedagógica e em uma supervisora. Depois, se dirigiram ao pátio, onde atingiram alunos de ensino médio. Depois seguiram para um centro de línguas.

Na mochila dos atiradores havia três coquetéis molotov, duas bestas (lança-seta) e um revólver 38. Uma terceira mochila foi encontrada com uma espécie de bomba, de acordo com informações do Major Caruso, subcomandante do 32.º Batalhão com sede em Suzano.

A polícia está fazendo uma varredura na escola porque foram encontrados artefatos com aparência similar a de explosivos. "A preocupação neste momento é desmantelar os artefatos explosivos, prestar socorro às vítimas e atender às famílias", disse o coronel Salles. A área no entorno da escola está isolada por risco de haver explosivos.

Em nota, a Prefeitura de Suzano informou que o Pronto Socorro Municipal já recebeu crianças com ferimentos leves e os feridos com maior gravidade estão sendo encaminhados ao Hospital Luzia de Pinho Melo, em Mogi das Cruzes, e ao Hospital Santa Marcelina em Itaquaquecetuba.

A professora Sandra Perez falou sobre o ataque. "Foi às 9h30. Ouvimos disparos. Estava na sala de aula, na hora do intervalo. Pensei que fossem bombas. Quando eu percebi que eram tiros fiquei lá. Só saí quando os policiais chegaram, 20 minutos depois", contou.

atualizado às 13:17

DIÁRIO DO NORDESTE E ESTADÃO CONTEÚDO

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.