Clássico-Rei de domingo definirá planos de Leão e Vovô no Estadual


Os momentos mais esperados dos campeonatos estaduais pelo Brasil são os clássicos, por serem jogos grandes, com torcidas empolgadas, movidas pela rivalidade. Mas alguns duelos são disputados sem grandes objetivos, com equipes já classificadas ou priorizando outras competições. Este primeiro Clássico-Rei de 2019, no domingo, às 16 horas, na Arena Castelão, não será assim. Há muita coisa em jogo.

Pela situação de Ceará e Fortaleza na tabela da 2ª fase do Campeonato Cearense, o clássico promete ser palpitante, com uma carga elevada de adrenalina em campo e nas arquibancadas.

Restando apenas duas rodadas para o fim da 2ª fase, Ceará e Fortaleza estão separados por quatro pontos. O Ceará, mesmo líder, com 11 pontos, precisa pontuar para confirmar sua classificação, ou vencer para encaminhar a 1ª colocação, garantindo vantagens nas fases finais do Estadual, além, claro, de complicar as coisas para o rival.

Isso porque o Fortaleza é o 5º colocado com sete pontos, ou seja, hoje está fora do G-4, e uma derrota tricolor o deixaria em situação difícil na última rodada por uma vaga nas semifinais.

Nem um empate com o Vovô resolveria as coisas para o Tricolor do Pici, já que a vitória diante do Floresta na última rodada seria obrigatória para uma classificação. Uma nova igualdade eliminaria o time de Rogério Ceni precocemente do Cearense.

Em contrapartida, uma vitória tricolor no clássico não só recolocaria o Leão no G-4, como encostaria no Alvinegro na tabela - 11 a 10 - esquentando a disputa pela liderança na 2ª fase na última rodada, no dia 20, com o Vovô enfrentando o Ferroviário, e o Leão recebendo o Floresta.

Uma derrota alvinegra, além de impedir a classificação antecipada, também traria um risco, mesmo que diminuto, de uma eliminação do Ceará antes das semifinais, caso outro revés na última rodada para o Ferroviário, somado a uma combinação improvável de seis resultados.

Foco máximo

Um dos motivos que esquentou ainda mais o Clássico-Rei foi o tropeço do Ceará na última quarta-feira, ao empatar com o Atlético/CE por 1 a 1, na Arena Castelão.

Se tivesse vencido a Águia da Precabura, o Vovô não só garantiria classificação antecipada, como praticamente a liderança da 2ª fase, permitindo ao técnico Lisca poupar titulares no Clássico-Rei, já pensando no duelo com o Corinthians, pela Copa do Brasil, na próxima quarta-feira.

Segundo Lisca, de quatro ou cinco seriam poupados no clássico, caso o time tivesse classificado no Estadual, o que diminuiria o interesse do torcedor alvinegro pelo confronto.

Com o tropeço, o Vozão irá com sua força máxima para o duelo.

"É um clássico, um jogo que mobiliza a cidade inteira. Na nossa casa e no nosso estádio, quem tem que mandar somos nós. Só vamos conseguir isso nos impondo, claro, respeitando o adversário. Clássico sempre tem suas surpresas, mas esperamos fazer um grande jogo. É um jogo que todo jogador quer jogar", declarou o zagueiro Luiz Otávio.

Decisão

Para o Fortaleza, o jogo é uma decisão de campeonato pela situação da equipe na tabela. Vindo de derrota no Estadual para o Horizonte, o time leonino não ganha há três partidas no certame.

O técnico Rogério Ceni admitiu preocupação com a situação da equipe na tabela, mas que acredita na classificação, embora não pense mais na liderança da 2ª fase, mesmo que a combinação ainda seja possível.

"A vantagem eu já nem penso mais. Me preocupa a classificação entre os quatro. Temos que ser realistas. Temos um clássico contra o Ceará, um jogo com o Floresta e são 6 pontos para jogar", declarou o técnico leonino.

DIÁRIO DO NORDESTE

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.