Atacante russo é multado após ofensa racista ao cearense Ari

Foto: Gustavo Simão/Especial para O POVO
O atacante russo Pavel Pogrebnyak, ex-seleção e que defende o Ural Ecaterimburgo, foi julgado pelo Comitê de Ética da Federação Russa de Futebol e terá de pagar multa de 250 mil rublos (cerca de R$ 15,3 mil) após ter protagonizado caso de racismo contra o cearense Ari, ex-Fortaleza e hoje no Krasnodar, da Rússia.

"É ridículo que pessoas de cor joguem na seleção russa. Tenho uma opinião negativa a respeito das naturalizações, não vejo sentido. Por que deram um passaporte russo para o Ari?", disse Pogrebnyak, ao site Sport Express, após a convocação de Ari para a seleção russa de futebol.

Com a repercussão do caso, o jogador tentou se retratar dizendo que não tinha a intenção de ofender. Após o julgamento, Pavel Pogrebnyak aceitou a multa e preferiu não apelar. Ari é o primeiro atleta negro convocado para a seleção russa de futebol. Além dele, o centroavante do Ural criticou ainda o também lateral-direito Mário Fernandes, que jogou a última Copa do Mundo pelo país-sede.

Na época em que as ofensas aconteceram, há uma semana, Ari garantiu em entrevista à ESPN que pretende seguir jogando pela Rússia. "Sobre esse comentário (do atacante russo), muitos jornalistas me ligaram aqui. Eu prefiro nem falar nada, porque um cara desses (Pogrebnyak) nem merece atenção. Triste pensar que nos dias de hoje ainda exista algo assim. Minha ideia é continuar defendendo a seleção", garantiu.

Ari salientou também que, ainda que já tenha sido vítima de racismo, a situação tem diminuído. "Já sofri racismo na Rússia, como outros jogadores negros que atuaram aqui, como Roberto Carlos, Hulk e Eto'o. Mas isso foi a alguns anos atrás, hoje em dia não vemos mais isso. É muito difícil acontecer, até mesmo em São Petersburgo, onde dizem ser mais comum", disse, também à ESPN.

GAZETA ESPORTIVA

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.