Chefe de facção preso é suspeito de comandar ataques em Acaraú


Um homem foi preso após operação policial realizada nessa terça-feira, 12, em Acaraú, a 233,5 quilômetros de Fortaleza. Ele é suspeito de ser mandante de ataques no Município, conforme a investigações da Polícia. O Estado enfrentou uma série de atentados a prédios públicos, veículos de transporte coletivo, bancos e viadutos no mês de janeiro.

De acordo com Igor Sampaio, titular da delegacia de Itarema, Jhones Magalhães da Silva, de 29 anos, seria chefe de uma facção criminosa que atua na região e comandante do tráfico de drogas. Além disso, ele é apontado como responsável por homicídios na área.

O homem encontrava-se na residência de familiares, no bairro Sitio Buriti, onde foi preso pelos agentes de segurança. Segundo Igor Sampaio, o indivíduo tentou escapar, subiu no telhado e, ao tentar pular um muro, caiu e foi capturado.

Jhones Magalhães tem passagens pela Polícia por tentativa de homicídio, tráfico de drogas, furto, receptação e crime de trânsito. Além disso, investigações da Polícia apontam que ele seria responsável por ordenar a morte de integrantes de uma facção criminosa rival.

A Polícia informou que, acompanhado por seguranças, o suspeito andava em carros blindados e instalou câmeras para monitorar o trabalho dos agente de segurança em sua rua.

No mesmo local, foi detido um segundo homem. Trata-se de Douglas Costa da Penha, de 27 anos, mais conhecido como "Dogão". Ele seria comparsa de Jhones e possui antecedentes criminais por tráfico de drogas.

Participaram da operação policiais militares da Força Tática de Acaraú, além do Batalhão de Policiamento de Rondas e Ações Intensivas e Ostensivas (BPRaio).

Com a dupla foi apreendida uma espingarda calibre 12, uma submetralhadora artesanal 9 mm, uma espingarda de chumbinho, 131 gramas de crack, 85 gramas de skank, além de cédulas de dinheiro em real e dólar.

Os homens foram autuados em flagrante por tráfico de drogas e porte ilegal de arma de fogo. A Polícia investiga ainda a participação dos indivíduos em outros crimes.

O Povo

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.