Secretaria da Saúde dá dicas sobre os cuidados com as moscas no ambiente doméstico

Foto: Internet
As moscas são insetos de diferentes espécies que se alimentam de materiais em fermentação ou decomposição, como alimentos, excrementos e matéria orgânica em geral. Além da forma alada (adulta), passam pelas fases de ovo, larva e pupa, necessitando de ambiente úmido para sua evolução, tendo o lixo como ambiente ideal para sua reprodução e alimentação.

Esses insetos têm grande potencial de adaptação do ambiente urbano e doméstico e se reproduzem durante o ano inteiro, onde cada fêmea pode chegar a colocar 900 ovos por vida, porém, durante o período de chuvas, os cuidados devem ser redobrados, pois, com o aumento da umidade no ar, as moscas encontram com mais facilidade os locais para pôr seus ovos e as fases infantis evoluírem com maior rapidez até a fase adulta. 

Devido seu hábito de transitar por diversos tipos de matéria orgânica (lixo, fezes, cadáveres) acabam transportando em suas pernas inúmeros tipos de patógenos, como vírus, bactérias, protozoários e ovos de helmintos (verminoses), sendo potenciais vetores na transmissão de doenças, especialmente diarreias e desconfortos intestinais.

As medidas de prevenção e controle que devem ser adotadas pela população se referem aos cuidados com o acondicionamento do lixo, mantendo-o sempre em sacos fechados e descartando-os apenas no dia e horário do caminhão de coleta. As lixeiras também devem ser lavadas após a retirada do lixo, pois podem conter ovos ou larvas. Deve-se evitar o acúmulo de qualquer resíduo orgânico, como adubos na superfície da terra e restos de alimentos. O telamento dos ralos também é uma medida de controle importante para evitar as espécies que se reproduzem nesse ambiente, especialmente em banheiros.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.