Seis reféns e oito criminosos mortos em Milagres

Catorze pessoas foram mortas após uma quadrilha tentar roubar dois bancos em Milagres, a 485 km da Capital, durante a madrugada de ontem. Entre os mortos, seis eram reféns do grupo criminoso. Os outros foram identificados como assaltantes.

Em nota, a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) afirmou que os reféns foram abordados no momento em que trafegavam pela BR-116. Um caminhão foi utilizado pelos criminosos para fechar a rodovia na altura do km 495, na ponte sobre o Riacho Tamanduá. As informações, levantadas pela Inteligência do órgão, no entanto, são "preliminares" e serão aprofundadas durante inquérito da Polícia Civil, afirma a SSPDS. O major Antônio Cavalcante, comandante do Grupo de Ações Táticas Especiais (Gate), informou que o grupo se dividiu em dois. Enquanto uns atacavam o banco, outros bloqueavam a rodovia.

Cinco dos reféns eram de uma mesma família. João Batista Campos Magalhães, 49, e Vinícius de Souza Magalhães, 14, eram pai e filho. Eles eram, respectivamente, cunhado e sobrinho, de Claudineide Campos de Souza Santos, 41, e Cícero Tenório dos Santos, 60, marido e mulher. O filho do casal, Gustavo Tenório dos Santos, 13, também foi morto. A sexta refém morta, única natural do Ceará, foi Francisca Edneide da Cruz Santos, 49.

A SSPDS não detalhou as circunstâncias em que os reféns foram mortos. Informou apenas que houve tiroteio entre a quadrilha e a Polícia, o que deixou cinco criminosos mortos no local do confronto. Outros dois também foram atingidos, mas morreram em unidades hospitalares para onde foram socorridos. Durante cerimônia de inauguração do Centro Integrado de Inteligência de Segurança Pública Regional, o titular da SSPDS, André Costa, afirmou que um dos homens presos teria dito "que matou pessoas no local (do crime) que não eram da quadrilha". No entanto, o secretário ponderou que as informações são preliminares. "É muito difícil fazer julgamento sobre ação dos policiais no meio do tiroteio. O momento é de sermos responsáveis e aguardar a apuração realizada de forma isenta", declarou.

Conforme André Costa, o setor de inteligência da SSPDS recebeu antecipadamente as informações de que a quadrilha atacaria os bancos. Forças policiais de outros três estados (Sergipe, Alagoas e Bahia) trocaram informações com a SSPDS, informou a nota da pasta. As investigações apontavam apenas, no entanto, que o crime ocorreria em Milagres ou no  município vizinho de Missão Velha, ambos na região do Cariri.

Horas depois da ação, um suspeito de participar da tentativa de assalto foi morto em Barro, município vizinho a Milagres, também em confronto com a Polícia. Das oito pessoas do bando mortas, apenas duas foram identificadas - Mackson Junior Serafim da Silva, 26, e Lucas Torquato Loiola Reis, 18. Além dos mortos, três suspeitos foram presos: Robson José dos Santos, 36; Gian Sidney Wynne Santos, 25; e Cícero Rozelir da Silva Caldas, 34. Dos cinco identificados, apenas Cícero é cearense. Gian Sidney, Mackson e Robson são sergipanos. Lucas é natural de Alagoas. Robson foi preso já em Brejo Santo. 

Após a ação, ele se escondeu em uma casa em Milagres, onde trocou de roupas.

Em vídeo gravado por policiais, compartilhado em redes sociais, um dos presos conta que dez homens faziam, ao todo, parte da quadrilha. Ele ainda narra que receberia R$ 3,5 mil para dirigir um dos carros usados na ação.

A Polícia ainda apreendeu cinco armas de fogo: três pistolas (calibres 9 mm, 380 e .40), uma espingarda calibre 12 e um revólver calibre 38. Também foram apreendidos explosivos e seis carros. Um dos carros tinha queixa de roubo em Nossa Senhora do Socorro, Região Metropolitana de Aracaju. Outros dois carros haviam sido roubados na BR-116. 

Colaborou Farias Júnior, da Rádio O POVO CBN Cariri


Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.