Médico cristão é um dos ganhadores do Prêmio Nobel da Paz de 2018


O médico cristão Denis Mukwege (63) e a iraquiana Nadia Mura (25) – uma yazidi vítima do Estado Islâmico – foram laureados com o Nobel da Paz deste ano “por seus esforços para acabar com o uso da violência sexual como uma arma de guerra e conflito armado”. O anúncio oficial foi feito pelo comitê, em Oslo, nesta sexta-feira (5).

Entre os mais de 300 indicados estava o povo copta do Egito, que vem resistindo pacificamente à perseguição religiosa. A justificativa para a entrega do prêmio deste ano é que Mukwege dedica-se a ajudar vítimas de violência sexual em seu país, na República Democrática do Congo.

Além de fundar o hospital Panzi, que atende crianças e mulheres vítimas de abusos na África, o ginecologista se tornou um ativista, condenando repetidamente a impunidade a estupros em massa não só no Congo, mas em outros países por não fazerem o suficiente para acabar com a violência contra as mulheres.

A importância do trabalho de Mukwege já tinha sido reconhecida, em 2014, pelo Parlamento Europeu, que concedeu a ele o prêmio Sakharov por sua luta a favor das mulheres vítimas de violência sexual.

Já Nadia Murad, que foi vítima de violência sexual nas mãos do Estado Islâmico no Iraque, onde nasceu, tornou-se uma ativista dos direitos humanos. Ela usa sua própria experiência “para servir porta-voz de outras vítimas”, justificou a comissão do Nobel.

Ao concederam a ela o prêmio, afirma que os estupros são usados pelo grupo como arma de guerra contra minorias religiosas, como os yazidi, da qual Nadia faz parte.

Gospel Prime

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.