CR7 volta a negar acusação de estupro de ex-modelo: ‘Nada pesa na consciência’


Cristiano Ronaldo voltou a utilizar as redes sociais para negar a acusação de estupro contra a ex-modelo Kathryn Mayorga. Dois dias após usar uma live no Instagram para chamar de “Fake News” as notícias sobre o crime sexual, denunciado pela própria norte-americana, o craque da Juventus utilizou o Twitter, nesta quarta-feira, para divulgar uma nova mensagem para se defender.

"Nego terminantemente as acusações de que sou alvo. Considero a violação um crime abjeto, contrário a tudo aquilo que sou e em que acredito. Não vou alimentar o espetáculo mediático montado por quem se quer promover à minha custa. Aguardarei com tranquilidade o resultado de quaisquer investigações e processos, pois nada me pesa na consciência", escreveu Cristiano Ronaldo na rede social.

Nego terminantemente as acusações de que sou alvo. Considero a violação um crime abjecto, contrário a tudo aquilo que sou e em que acredito. Não vou alimentar o espectáculo mediático montado por quem se quer promover à minha custa.

Novas informações sobre a acusação de estupro praticada por Cristiano Ronaldo contra uma ex-modelo norte-americana surgem a todo momento. A última delas depõe contra as alegações do craque da Juventus, que na segunda-feira, usou as redes sociais para chamar de “fake news” a história de Kathryn Mayorga.

O jornal britânico “The Sun” teve acesso aos documentos legais e informou, nesta quarta-feira, que CR7 admitiu para sua própria equipe jurídica que a mulher disse “não” e “pare” durante o sexo, de acordo com documentos judiciais.

“A papelada legal afirma que o atacante da Juventus disse a uma equipe de "consertadores" - conhecidos como especialistas em proteção pessoal de reputação - que ela disse "não" durante "relações sexuais". A equipe havia anteriormente submetido perguntas escritas a CR7 perguntando a ele exatamente o que aconteceu entre ele e Mayorga“, conta o jornal.

O CASO

A história foi revelada em março deste ano, mas voltou à tona na última sexta-feira, quando a revista alemã “Der Spiegel” conseguiu falar com a mulher, que revelou detalhes do episódio.

Em 2009, Cristiano Ronaldo, então uma estrela em ascensão, trocou o Manchester United pelo Real Madrid. Empolgado com a transferência para o time dos galáticos, ele foi com amigos para a cidade de Las Vegas, nos Estados Unidos. Os festejos, no entanto, terminaram com uma denúncia de estupro contra o jogador. O caso foi encerrado com um acordo. CR7 aceitou pagar US$ 375 mil para que a vítima não levasse o caso a público.

Kathryn Mayorga, que é atualmente professora, conheceu Cristiano Ronaldo no dia do estupro. Ela diz ter repetido por várias vezes as palavras “não” e “para”. Segundo ela, no entanto, o atacante só parou quando terminou o sexo anal forçado. Neste momento, de joelhos, ele procurou se justificar a ela: “Sou um cara 99% legal. Exceto por 1%”.

De acordo com a “Der Spiegel”, o advogado de Kathryn entrou com ação para questionar a validade do acordo firmado entre ela e CR7. A própria afirma que só o aceitou por temer por sua vida e a de seus familiares.

EXTRA

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.