PT nacional veta apoio a Eunício e pode lançar nome ao Senado no Ceará

Foto: Agência Brasil 
A presidente do PT, senadora Gleisi Hoffmann, afirmou ontem que o partido não vai apoiar o senador Eunício Oliveira (MDB) no Ceará. A dirigente também falou que o diretório nacional da sigla vai analisar recurso, na próxima sexta-feira, questionando a determinação de não lançar candidato ao Senado no Estado.

No último sábado, durante encontro de tática eleitoral, o PT decidiu, por 200 votos a 70, abrir mão da segunda vaga ao Senado na chapa do governador Camilo Santana (PT). O único nome governista na briga deve ser o do ex-governador Cid Gomes (PDT).

Uma ala do PT criticou o resultado do encontro por favorecer Eunício, que concorre à reeleição. Presidente do Congresso, o emedebista tem se reaproximado de Camilo.

Desde o fim de 2017, o governador vem dando mostras de que pretende costurar aliança com o ex-adversário mesmo com o veto expresso de seus padrinhos políticos Cid e Ciro Gomes.

Ao O POVO, Gleisi foi categórica: "O PT não apoia o Eunício". Um dia antes, nas redes sociais, ela já tinha negado que Lula houvesse manifestado aprovação ao senador do MDB. "Lula não enviou nenhuma carta de apoio à candidatura de Eunício de Oliveira ao Senado da República pelo Ceará", escreveu no Twitter. "Nem tão pouco o PT decidiu apoiá-lo, nem o apoiará."

Por meio de assessoria, a parlamentar acrescentou que a direção nacional do partido vai discutir se mantém as teses aprovadas no encontro de tática da executiva cearense ou se revoga tópicos aprovados. Caso desfaça o resultado, o PT no Estado pode lançar um nome ao Senado.

Presidente do PT no Ceará, Moisés Braz minimizou a polêmica. "Não acho que o PT possa voltar atrás. Não acredito que o PT nacional vai revogar nossa decisão. A direção vai respeitar nossa posição", respondeu.

Questionado se, ao abrir mão da segunda vaga, o PT local atendia a pedido de Camilo para beneficiar Eunício, o deputado negou: "O partido não vai lançar candidato (ao Senado) porque não fizemos essa discussão. O PT não foi pressionado por ninguém pra tomar essa posição, nem pelo governador nem por ninguém".

Sobre a abertura que a decisão criava para o senador emedebista, deixando livre um lugar na chapa, o deputado respondeu que "o PT no Ceará não vai fazer qualquer indicação a seus militantes para votar em Eunício, mas também não vamos proibir".

Em convenção no próximo domingo, o PT oficializa a candidatura de Camilo. No mesmo dia, a sigla também deve sacramentar o nome de Lula na corrida ao Palácio do Planalto.

 O Povo


Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.