I Bienal Internacional de Teatro do Ceará traz artistas e grupos do Brasil e de outros três países

Divulgação
Programada para começar em agosto, a I Bienal Internacional de Teatro do Ceará – BITCE – Parte II vem compor o calendário cultural cearense das bienais de cultura e artes. De 28 de agosto a 05 de setembro, uma seleção de produções nacionais (Bahia, Ceará, Rio de Janeiro e São Paulo) e internacionais (Itália, Argentina e Venezuela) apresentam ao público mulheres e personagens da dramaturgia e mitologia universais. A programação terá como palco as cidades de Sobral (28 a 30/08), Juazeiro do Norte (31/08 a 02/09) e Fortaleza (03 a 05/09).

As obras convidadas para o festival foram escolhidas a partir do tema “Teatro, Mito e Feminino: Conexões” e são, em sua maioria, solos. A primeira fase aconteceu em novembro de 2017 e contemplou a Espanha e o Brasil com 57 apresentações durante dez dias. Nesta segunda fase, a produção do evento abre espaço para novas possibilidades de linguagens que trazem discussões relevantes para a produção teatral e para a sociedade como um todo. A programação é gratuita e a classificação etária 18 anos.

Programação

No Foyer do Teatro São João, em Sobral, uma homenagem à mulher sobralense vai abrilhantar a solenidade de abertura, às 18 horas, na terça-feira (28/08). Logo após, às 20 horas, começa o espetáculo Atemporal do sobralense Grupo Caboclas com direção de Jéssica Cisne e Quésia Carvalho e texto de Israela Aragão.

Na quarta-feira (29), a Bienal continua e se instala em outros dois equipamentos culturais, cumprindo uma das ideias motoras da BITCE, que é a descentralização, a desterritorialização das ações culturais, espraiando pelas cidades. Por volta das 15 horas, o público poderá conferir a etnocena A cor do afeto: Frida Kahlo por Izabel Gurgel, na Casa da Cultura de Sobral. Às 18 horas, o Foyer do Teatro São João recebe A jornada do Mesquinho, com direção e atuação da cantora e atriz italiana Miriam Palma. E às 20 horas, o espetáculo Medeia Material, um clássico moderno do dramaturgo alemão Heiner Müller, dirigido e protagonizado pela venezuelana Diana Peñalver, compõe a cena sobralense.

A BITCE se despede de Sobral na quinta-feira (30) a partir das 18 horas, no foyer do Teatro São João, com o experimento cênico As Troianas. Livre para o amor de Francinice Campos. O espetáculo é uma livre narrativa baseada na personagem Andrômaca, que na obra de Eurípides, após o término da guerra travada entre Tróia e Esparta, escondeu o próprio filho para salvá-lo da tirania dos soldados.

Logo após, às 20 horas, a atriz Lua Ramos entra em cena com Brasileira, profissão esperança. Uma história de Clara Nunes, sob a direção de Beto Menês. E às 21 horas, o público confere, na calçada do teatro, a etnocena Canto no Feminino Plural com Kely Brasil.

Juazeiro e Fortaleza 

Da Região Norte para a Região do Cariri, a BITCE continua sua programação no Teatro Sesc Patativa do Assaré, no Teatro Marquise Branca e no Centro de Educação, Cultura e Artes Marcus Jussier, de sexta-feira (31/08) a domingo (02/09), em Juazeiro do Norte.  Depois segue para o Theatro José de Alencar, de segunda-feira (03/09) a quarta-feira (05/09), fechando a segunda etapa do projeto na Capital alencarina.

Nas duas cidades, a programação conta ainda com o espetáculo protagonizado pela Veronica Velez, um olhar feminino sobre a obra de Julio Cortázar, título do espetáculo, dirigido por Eduardo Giulio, e Ofélia: Sete Saltos Para se Afogar, uma leitura sobre o clássico "Ofélia", de William Shakespeare. Compõe ainda a   programação uma seleção de montagens cearenses sob o tema do feminino, do mito e da Etnocena: O pranto ancestral das Carpideiras de Barbalha; Diário de um louco; Clitemnestra – uma canção de amor; Beata Maria de Araújo; e Fulô do Campo Quadrilha Junina com o tema “mulher, hoje é dia de luto, hoje é dia de luta, hoje é dia”.

Ações Formativas e seminário

Atividades formativas serão realizadas em Sobral, Juazeiro do Norte e Fortaleza.  No Instituto ECCOA de Sobral, Teatro Marquise Branca (Juazeiro) e Teatro Boca Rica (Fortaleza) acontecem três multiresidências (encontro entre criadores) voltados à formação e atores, voz para teatro e canto para teatro. No dia 5 de setembro, das 14h às 17h, o Theatro José de Alencar recebe o Seminário Teatro, Mito e Feminino: conexões com a participação de Humberto Cunha (Unifor), que falará sobre “Justiça: substantivo feminino. Lições da Trilogia Tebana”, e Rejane Reinaldo (Ponto de Cultura Escola Livre Teatro da Boca Rica), que apresenta ao público “Pentesileia, a rainha das Amazonas”.  Participa do encontro, via internet, o professor Thiago Arraes (IFCE).

Sobre a Bienal

O projeto nasceu das inquietações da pesquisadora e feminista Maria Rejane Reinaldo, diretora do Ponto de Cultura Escola Livre Teatro da Boca Rica. Em seu trabalho acadêmico, pesquisou e defendeu a tese Pentesileia, a rainha das Amazonas - travessias de uma Personagem, aprovada no Doutorado do Programa de Pós-Graduação em Artes Cênicas da Universidade Federal da Bahia, em 2015, com apresentação pública no Teatro Martin Gonçalves da Escola de Teatro da UFBA, em Salvador.

Realizado pelo Ponto de Cultura Escola Livre Teatro da Boca Rica, Instituto Ecoa de Sobral, Prefeitura Municipal de Sobral, Prefeitura Municipal de Juazeiro do Norte e SESC CE – Juazeiro do Norte, a I Bienal Internacional de Teatro do Ceará – BITCE Parte II tem o patrocínio do Ministério da Cultura e Governo Federal, Atacadão e Banco do Nordeste, Apoio cultural do Theatro José de Alencar, Instituto Dragão do Mar e Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará. Produção do Teatro do Boca Rica.


SERVIÇO:

I Bienal Internacional de Teatro do Ceará – BITCE – Parte II

 – de 28 a 30 de agosto, em Sobral; de 31 de agosto a 02 de setembro, em Juazeiro do Norte; e de 03 a 05 de setembro, em Fortaleza.

Acesso: Toda a programação é gratuita. O acesso aos espetáculos se dará por ordem de chegada. A participação nas ações formativas será por ordem de inscrição no endereço: bienaldeteatrodoceara@gmail.com.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.