Ceará registra um acidente do trabalho a cada hora

Divulgação
27/07 é o Dia Nacional de Prevenção de Acidentes do Trabalho. Balanço parcial mostra que estado mantém média de ocorrências dos últimos anos.

Do início de 2018 até hoje, 4.973 acidentes do trabalho foram registrados no Ceará. A média é de uma ocorrência a cada hora, com 34 mortes acidentárias. Fortaleza concentra 50% dos casos de todo o estado. Os dados consideram apenas as ocorrências registradas no INSS por meio de Comunicação de Acidente de Trabalho (CAT) e sugerem uma realidade ainda mais significativa de acidentes não notificados.

Os números de 2018 mantêm a média de ocorrências com trabalhadores no Ceará nos últimos 6 anos: de 2012 a 2017, foram 52.619 registros, ou seja, quase 9.000 acidentes anualmente. No mesmo período, o setor de atendimento hospitalar foi o que mais emitiu CATs no estado (3.971 registros), seguido da fabricação de calçados sintéticos (2.273), fabricação de calçados de couro (2.225) e construção civil (2.134).

Em 40% dos casos, de 2012 a 2017, os acidentados sofreram fraturas ou cortes (laceração, ferida contusa ou punctura). Por isso, o Ministério Público do Trabalho (MPT) firmou acordo nacional com empresas do ramo produtivo de cimento para reduzir o peso da saca de 50 para 25 quilos, nos próximos 10 anos. “A medida traz benefícios não só para os trabalhadores da produção, mas também para os que atuam no varejo e na construção civil. É uma atividade preventiva”, esclarece o procurador-chefe do MPT no Ceará, Francisco José Parente Vasconcelos Júnior.

Sobral ocupa a 3ª posição no Estado
Somente este ano, já foram gastos mais de R$ 2,4 bilhões em benefícios previdenciários causados por acidentes e doenças do trabalho no Ceará. “Atualmente, a União tem ingressado na Justiça contra as empresas, para ressarcimento das despesas com trabalhadores acidentados”, explica o procurador-chefe. “Esse é mais um motivo para que o segmento empresarial se conscientize e cumpra as normas de saúde e segurança do trabalho”, defende.

Monitoramento

Os dados são do Observatório Digital de Saúde e Segurança do Trabalho, ferramenta desenvolvida pelo Ministério Público do Trabalho (MPT) e Organização Internacional do Trabalho (OIT). O site atualiza em tempo real dados do INSS e Ministério da Fazenda para subsidiar projetos, programas e políticas públicas de promoção do trabalho seguro.


Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.