Serviço de Abordagem é porta de entrada para notificar violações que acontecem nas ruas

Foto: Divulgação 
A Secretaria dos Direitos Humanos, Habitação e Assistência Social (Sedhas), através da Coordenadoria da Assistência Social, executa o Serviço Especializado de Abordagem Social (Seas), por meio de duas equipes com quatro orientadores sociais, ligadas aos Centros de Referência Especializado da Assistência Social (Creas) e Especializado para População em Situação de Rua (Centro Pop).

"Essas equipes têm um papel fundamental como porta de entrada para notificações de violações de direito que acontecem na rua: elas se revezam, uma durante o dia e outra no turno da noite, realizando busca ativa de situações como trabalho infantil, uso e abuso de substâncias psicoativas por crianças e adolescentes, vivência de rua e mendicância por pessoas de qualquer idade", disse a coordenadora da Assistência Social, Neuverina de Albuquerque.

Para auxiliar nos deslocamentos cada equipe tem o apoio de um carro, com motorista, para poder chegar aos bairros mais afastados da cidade. "São nos entroncamentos de BR's, postos de gasolina, feiras livres, mercados e outros que se encontram as principais situações de violação", fala Neuverina.

ACOMPANHAMENTO

Segundo a gerente responsável pelos centros especializados, Brígida Lima, o trabalho não se encerra com a abordagem. "Ao realizar a abordagem, os orientadores procuram conhecer a situação de forma geral e anotar informações principais. Se for adulto em situação de rua, o encaminhamento é feito ao Centro Pop para que aquele usuário seja atendido e tenha acesso à banho, alimentação e à encaminhamentos para as políticas de saúde, de documentação, dentre outros. Se envolver criança, adolescente ou idoso, o encaminhamento é feito ao Creas, que acompanhará a situação", afirma Brígida.

As equipes de abordagem podem ser acionadas por meio de denúncia: durante o dia, pelo telefone (88) 3695-5200, ao Creas; e pela noite, através do (88) 3611-8236, ao Centro Pop. Denúncias também podem ser feitas ao Disque Nacional dos Direitos Humanos, Disque 100.


Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.