Mina brilha, Falcão finda jejum e Colômbia despacha a Polônia da Copa

Foto: Divulgação
José Pékerman não atendeu aos pedidos para a entrada de Borja na seleção colombiana, mas resolveu apostar em Yerry Mina na segunda e decisiva partida dos sul-americanos pelo grupo H na Copa do Mundo da Rússia, dessa vez frente a Polônia, que também jogava sua sobrevivência na Arena Kazán. No fim, o treinador argentino viu sua estrela brilhar na noite desse domingo com um triunfo contundente por 3 a 0. O ex-zagueiro do Palmeiras, hoje no Barcelona, abriu o placar e anulou o centroavante Lewandowski. Falcao Garcia também acabou com seu jejum de seis jogos sem marcar gol, três só por sua seleção. E ainda deu tempo de Juan Cuadrado matar o confronto e garantir a segunda linda assistência de James Rodríguez na partida. Por outro lado, pela terceira vez seguida, a Polônia dá adeus precocemente ao torneio. É a 10ª equipe a sentir o gosto amargo da eliminação na Rússia.

Hospedada justamente na cidade que recebeu o último duelo da segunda rodada do Mundial, a Colômbia se viu por alguns instantes no mesmo clima de como se estivesse jogando em Bogotá. Lotado, o clima em Kazán era totalmente favorável aos colombianos.

Os poloneses, que ali deveriam buscar um triunfo a qualquer custo, acabaram se tornando presas fáceis. O time de José Pékerman não deu chances ao adversário com uma marcação em bloco, de linhas altas, em alguns momentos com os dez jogadores de linha no campo ofensivo.

Assim, o astro Lewandowski, de 16 gols nas Eliminatórias europeias, se viu isolado e sem muito o que fazer em campo. A linha de três zagueiros da Polônia se perdeu com a movimentação da dupla Quintero e James, e sofreu com a velocidade de Cuadrado pela direita.

O prêmio pelo intenso volume criado pôde ser comemorado depois de jogada ensaiada em cobrança de escanteio. James acabou tendo toda liberdade de que precisava para cavar a bola na cabeça de Mina, que abusou dos seus 1,95m para vencer o goleiro Szczesny no alto e correr para sua típica dança, tão conhecida dos palmeirenses.

Pode se dizer que a derrotada magra no primeiro tempo foi lucro para os poloneses, que na etapa final tiveram de se expor e pagaram um preço alto por isso. Sem eficiência e criatividade, os europeus, para piorar, passaram a dar espaços no rígido sistema defensivo.

Era tudo que o ousado time colombiano precisava. Em dois contra-ataques mortais, Falcao Garcia e Cuadrado deram ar de goleada e surra no triunfo que, na verdade, trazia alivia a todo o time. Para o centroavante e capitão da equipe, o gol serviu também para lhe dar um pouco de paz para seguir na Copa do Mundo, já que não tem sido amena a pressão para que Borja entre em seu lugar.

Não se pode esquecer que o goleiro Ospina, mero expectador na etapa inicial, chegou a fazer três boas defesas na segunda metade da partida, mas o jogo em nenhum instante, saiu do controle da Colômbia. Sabor especial para quem viu todo das arquibancadas, inclusive os ídolos Com Higuita e Valderrama, e fez a festa com o tradicional “olé” a cada passe até o apito final.

O desempenho apaga a má impressão deixada na estreia, com o revés para o Japão. Agora, com três pontos, os colombianos vão para a terceira rodada vivos. A nova ‘final’ será contra Senegal, que soma um ponto a mais. A Polônia, com a desmotivação de uma seleção eliminada depois de duas derrotas, cumpre tabela contra o Japão, líder também com quatro pontos. Ambos os confrontos estão agendados para acontecer simultaneamente na quinta-feira, às 11 horas (de Brasília).

Gazeta Esportiva

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.