Travesti é morta no Jangurussu

Foto: Ilustração 
Uma travesti conhecida como Paulinha foi morta por disparos de arma de fogo no Jangurussu. Segundo investigação da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), o crime teria sido cometido por um homem conduzindo uma motocicleta, na noite dessa segunda-feira, 30.

Este é, pelo menos, o sexto assassinato de travestis e transsexuais em 2018 no Ceará. A Polícia Civil deve analisar se existem imagens do crime obtidas por câmeras de segurança de estabelecimentos comerciais próximos ao local do assassinato.

Após o crime, ocorrido na avenida Jornalista Tomaz Coelho, conhecida como Perimetral, o suspeito se evadiu. “Um inquérito policial foi instaurado e as diligências estão em andamento visando prender o autor do homicídio, bem como identificar a sua motivação”, informou a assessoria de comunicação da Segurança Pública e Defesa Social, por meio de nota.

Segundo levantamento feito pelo O POVO, foram registrados cinco homicídios contra essa população até o dia 5 de abril, sendo dois em Fortaleza e outros três em Maranguape, Pacajus e Barbalha.

Na data, um tribunal do júri popular considerou culpados os primeiros cinco réus responsáveis pela tortura e execução de Dandara Kethlen. A morte da travesti, um ano antes, foi registrada em vídeo que viralizou nas redes sociais.

O Povo
 

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.