Rogério Ceni afasta desconfiança no Leão após bom início de Série B

Foto: Mateus Dantas
Há exatos 55 dias, em entrevista coletiva, logo após perder o primeiro jogo da final do Campeonato Cearense, o técnico Rogério Ceni respondia sobre ter sido xingado de ‘burro’ pela torcida tricolor na arquibancada. “O torcedor tem todo o direito de se expressar. Se no domingo formos campeões, eles vão gritar ‘inteligente’”, disse na época. 

O título não veio, mas um início avassalador na Série B do Brasileiro foi o suficiente para mudar o relacionamento torcida-treinador. Hoje, o ex-goleiro é praticamente inquestionável à frente do Leão. Liderança isolada — com direito a margem de quatro pontos para o vice-líder —, melhor ataque e defesa da competição, aproveitamento de 90% e um time titular que o torcedor sabe até quem são os substitutos imediatos. As críticas ao trabalho de Ceni foram sufocadas pelo que o Tricolor vem colhendo a segundona. “A gente tem que ter convicção do que está fazendo. Não podemos agir de acordo com o torcedor. Tínhamos certeza que o trabalho estava sendo bem feito”, alega Sérgio Papellin, executivo de Futebol do Fortaleza.

Daniel de Paula Pessoa, diretor de Futebol do clube, endossa as palavras do companheiro de diretoria. “Em nenhum momento passou pela cabeça dos diretores do Fortaleza mudarem o comando. Sequer foi cogitado. A gente trouxe o Rogério para um projeto, um trabalho duradouro”, garante.

A pressão maior sobre o Ceni veio logo após a perda do Campeonato Cearense, mas segundo De Paula Pessoa, tirá-lo naquele momento seria um tiro no pé. Ele ressalta que o trabalho foi implantado no Estadual e que os frutos estão sendo colhidos agora. “Ele é muito trabalhador, participativo, tem treinamentos modernos e os resultados estão aí”, disse.

O dirigente discorda da ideia de que a primeira competição do ano foi um laboratório. “Acho que a reposição que a gente fez é que foi mais qualificada”, defende. Papellin também acredita que as contratações foram determinantes para a melhora do desempenho do time sob o comando de Ceni. “Nós acertamos com Derley, Jean Patrick e Dodô. O meio campo é o sustentáculo do time”, acredita. 

A fase do Tricolor é boa, mas a diretoria prega cautela. Questionado se Rogério Ceni é hoje uma unanimidade entre a torcida, Papellin é categórico: “enquanto estiver ganhando sim”.

Para o próximo jogo, no sábado, 2, contra o Sampaio Corrêa, às 16h30min, na Arena Castelão, Rogério Ceni deverá contar com um importante retorno.

Peça-chave no meio-campo do Fortaleza, o volante Derley está quase pronto para voltar ao time titular. Depois de desfalcar na vitória por 2 a 0 sobre o Criciúma, se recuperando de um corte de sete pontos no tornozelo direito, o volante deve estar novamente à disposição do técnico

Com a lesão (ocorrida em dividida de bola com o zagueiro Pereira no jogo contra o Figueirense) cicatrizada, o jogador voltou a treinar com o restante do elenco na última sexta-feira, realizando uma atividade física. 

A assessoria de comunicação do Fortaleza informou ao O POVO que o jogador será reavaliado nesta de semana, e aí sim será possível avaliar se Derley terá condições de atuar no sábado. 


O Povo

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.