Piloto suspeito de envolvimento na morte de líderes do PCC é preso

Foto: Divulgação
Após ter sido preso ontem, em Goiás, deve ser encaminhado ao Ceará Felipe Ramos Morais, piloto de helicóptero suspeito de envolvimento na morte de líderes da facção criminosa PCC no último dia 15 de fevereiro. Ele teria transportado Rogério Jeremias de Simone, o Gegê do Mangue, e Fabiano Alves de Sousa, o Paca, até o local onde foram mortos em Aquiraz (Região Metropolitana de Fortaleza).

O titular da Delegacia Estadual de Investigação Criminal (Deic) de Goiás, Valdemir Pereira da Silva, contou ao O POVO que, durante as investigações sobre o desaparecimento de um piloto em Anápolis, foi descoberto que um homem estaria fazendo uso de documento falso em um condomínio de luxo em Caldas Novas (a 170km de Goiânia). Era Felipe, que acabou preso pelos policiais. "Checamos o nome dele e descobrimos que havia mandado de prisão temporária de uma comarca do Estado do Ceará e o trouxemos para a Deic. Ele foi autuado em flagrante pelo crime de uso de documento falso", relata o delegado.  

Felipe foi encaminhado na noite de ontem ao Núcleo de Custódia, um presídio de segurança máxima em Aparecida de Goiânia, enquanto aguarda a transferência. O delegado relata que comunicou a prisão à Polícia Civil do Ceará, que deve enviar agentes para buscar o piloto em Goiás. "Esperamos que ele seja recambiado o mais rápido possível", afirmou Valdemir.
A Polícia Civil do Ceará informou, por meio de nota, que o mandado de prisão temporária foi cumprido ontem. As investigações sobre o crime seguem em andamento, a cargo da Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco), que vai ao estado onde ocorreu a captura para colher depoimento de Felipe Ramos Morais. A nota não informa sobre o encaminhamento do piloto ao Ceará divulgado pela Polícia de Goiás. 

Conforme o titular da Deic-GO, o piloto não foi interrogado a respeito das suspeitas contra ele no Ceará, no entanto, Felipe relatou aos policiais que usava documento falso para não ser morto. "Acreditamos que ele não queria era ser preso". Ainda segundo o delegado, o suspeito contou, em depoimento, ter encomendado uma Carteira Nacional de Habilitação (CNH) falsa para receber em um hotel de Goiânia. 

Felipe Ramos Morais já foi preso pelo menos outras duas vezes. Uma por pilotar com registro irregular e outra por transportar drogas em aeronave. Em 2014, foi condenado à prisão pela Justiça Federal no Ceará depois de ser flagrado transportando 174,8 kg de pasta-base de cocaína vinda da Bolívia. A ordem foi da 25ª Vara Federal, de Iguatu. No mês passado, foi condenado em 2ª instância a seis anos e dois meses de prisão no regime semiaberto. 
Por suposto envolvimento na morte de Gegê do Mangue e Paca ele estaria negociando uma delação para se entregar, o que não chegou a ocorrer. O POVO tentou contato com Mariza Almeida Ramos Morais, mãe de Felipe e advogada, mas as ligações não foram atendidas. (Colaborou Eduarda Talicy)


O Povo

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.