Diretor de presídio é afastado por suspeita de receber propina de detento em Itaitinga

Foto: Divulgação 
O diretor do Centro de Educação Penal e Integração Social (Cepis) Vasco Damasceno Weyne, no complexo prisional de Itaitinga II, na Região Metropolitana de Fortaleza, Humberto Vargas Dornele, foi afastado por suspeita de receber dinheiro de um detento. Ele é alvo da nova fase da operação "Masmorras Abertas", deflagrada pelo Ministério Público do Ceará (MPCE), por meio do Núcleo de Investigação Criminal, em abril deste ano.

Ele deve ficar afastado do cargo por pelo menos 90 dias. Conversas interceptadas pelo MPCE apontam que Humberto obtinha propina do presidiário Cláudio Aritama Lopes Santos. No último 16 de abril, a operação havia afastado sete coordenadores e diretores de presídios cearenses por cometerem ilegalidades administrativas.

As investigações tiveram início em maio de 2016. O juiz substituto da Comarca de Itaitinga, Christiano Silva Sibaldo de Assunção, determinou a busca e apreensão domiciliar do agente penitenciário no último dia 3. Medida também proíbe o diretor de acessar os prédios públicos da Secretaria de Justiça e Cidadania (Sejus) e de todas as unidades prisionais do Ceará.

O Povo 

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.