Bloqueios no Ceará devem prosseguir

Foto: Evilazio Bezerra
O dia seguinte ao pronunciamento de Michel Temer (MDB), com redução no valor do diesel e mudança para o preço mínimo do frete, foi de bloqueios nas rodovias do Ceará. Conforme a Polícia Rodoviária Federal, na noite de ontem, 12 trechos permaneciam paralisados e 29 pontos foram liberados. O movimento de caminhoneiros afirma que protestos devem prosseguir hoje.

Na manhã de ontem, motoristas bloquearam os dois sentidos da BR-222, na altura do bairro Tabapuá, em Caucaia, e o km 18 da BR-116 seguia interditado. Nova paralisação aconteceu também na CE-040, altura do Quarto Anel Viário. Por lá, caminhoneiros afirmavam não aceitar as medidas anunciadas por Michel Temer (MDB).

Insatisfeitos com a proposta anunciada pelo presidente Michel Temer no domingo, 27, eles pediam a incorporação de uma série de medidas: maior tempo de redução do preço do diesel, diminuição do ICMS sobre o combustível e que o corte do valor seja incorporado para os outros derivados de petróleo. A Polícia Militar contabilizou 100 caminhões no local.

Os motoristas não tinham prazo para encerrar a manifestação. “Pode ser daqui a 15 minutos, se o Temer atender ao que a gente pede”, cobra o motorista Edilberto Araújo, 30. Gerdson Pires, 27, autônomo, e na profissão há nove anos, aponta que os valores para reposição de peças e manutenção dos caminhões cresceram desproporcionalmente aos preços dos fretes. “A gente trabalha 12 horas por dia e, no fim do mês, tirando os custos, dá menos de mil reais”, informou.

Alfredo Martins, supervisor de fiscalização do Detran no Terminal Rodoviário Engenheiro João Tomé, afirmou que a movimentação ocorreu de forma normalizada na maioria das linhas. Somente a empresa São Benedito que cessou as vendas de passagens devido ao bloqueio na CE-040.

De acordo com Antônio Evangelista, presidente da Associação dos Motoristas Privados Individuais de Passageiros (Ampip-CE), no fim da noite de ontem havia paralisação parcial, mas motoristas já voltavam a circular. Já Roberto Guimarães, da Cooperativa dos Proprietários de Caminhões e Máquinas de Fortaleza (Coopercam) avisou que as paralisações devem continuar.

O Povo 

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.