Filho de Pelé vira técnico de prisioneiros na cadeia


Condenado a 12 anos e dez meses de prisão por lavagem de dinheiro e associação ao tráfico de drogas, Edinho passa boa parte do tempo na quadra poliesportiva da penitenciária Dr. José Augusto César Salgado, de Tremembé, no interior paulista. É a famosa P-II. O filho de Pelé joga futebol e gosta de orientar as equipes como treinador, realizando o que fazia quando estava em liberdade. Ele também se mantém no prumo com as visitas da mulher Jessica e os grupos de oração. Pessoas próximas o definem como “espiritualizado”.

Operação Indra

Edinho foi preso com outras 17 pessoas pela Operação Indra em junho de 2005, acusado de ligação com uma organização de tráfico de drogas comandada por Ronaldo Duarte Barsott, o Naldinho, na Baixada Santista. Sua pena foi de 33 anos e quatro meses de prisão.

Ele chegou a ser preso, mas depois de seis meses em prisão provisória, foi solto com liminar em habeas corpus do Supremo Tribunal Federal (STF). Edinho permaneceu em liberdade, alternando idas e vindas à cadeia, por ser possível a apresentação de recursos. No dia 23 de fevereiro de 2017, a 14.ª Câmara de Direito Criminal do Tribunal de Justiça de São Paulo confirmou a condenação, mas reduziu a pena para 12 anos e dez meses, em regime fechado. Edinho foi obrigado a se apresentar. Foi detido em julho do ano passado, após a 14.ª Câmara de Direito Criminal do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo (TJ-SP) decidir por rejeitar as apelações da defesa. Desde então, está preso.

Fonte: Veja.com

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.