Ceará passa duas primeiras rodadas do Brasileirão sem anotar gol

Foto: Divulgação/Ceará SC
O empate por 0 a 0 com o São Paulo, domingo, no Castelão, garantiu ao Ceará o primeiro ponto neste Campeonato Brasileiro. Mesmo assim, o Vovô saiu de campo ainda sem ter marcado seu primeiro gol na competição. E muito disso se deve ao baixo desempenho que o setor ofensivo alvinegro tem mostrado no início da Série A.

De acordo com o site WhoScored, especialista em estatísticas futebolísticas, na partida contra o São Paulo foram 14 finalizações do Ceará: sete acabaram bloqueadas, quatro foram para fora e somente três, na direção do gol.

“A gente poderia ter trabalhado melhor ofensivamente. Faltou vencer duelos de um contra um, tirar um coelho da cartola pra criar situações...Temos que melhorar a nossa fase ofensiva pra que a gente volte a marcar e vamos procurar fazer isso já contra o Flamengo (dia 29). Temos que ser mais efetivos nas oportunidades”, disse o treinador Marcelo Chamusca.

A preocupação é reflexo também da dificuldade que o Ceará tem para criar situações de perigo aos oponentes. Contando as duas rodadas iniciais do Brasileirão, o Vovô é o clube que menos finalizou de dentro da área (três vezes), o que mostra a pouca eficiência do setor de criação. A bola não chega para Arthur, que acaba ficando isolado.

A alternativa, então, é arriscar de longe. Por isso, o Alvinegro é o time da Série A que mais chutou de fora da área (21 vezes), o que também evidencia a dificuldade de furar os bloqueios adversários.

Uma justificativa para isso é a ausência de um meia armador. Um Camisa 10 que possa organizar as construções coletivas pelo meio-campo e articular as ações ofensivas. Já visando o duelo do próximo domingo, às 16 horas, no Castelão, contra o Flamengo, Chamusca espera contar com a volta de jogadores que estão no Departamento Médico, como Richardson, Ricardinho e Pedro Ken. Peças que podem ajudar a combater o problema. “Minha expectativa é que possa ter uma melhor condição de escalação, com mais jogadores à disposição, já que estamos sofrendo muito com desfalques, e também com novas peças que cheguem pra agregar ao grupo”.

Uma alternativa que o treinador deve ter à disposição é o atacante Juninho, contratado junto ao Sport. “Estamos trabalhando o Juninho para que ele ao menos tenha condições de fazer parte do grupo que vai pro próximo jogo. É um jogador que tem qualificação no último terço (do campo) e que pode nos ajudar. Vamos acompanhar a evolução dele na semana e, se estiver bem, poderá ser utilizado contra o Flamengo”.

O Povo

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.