Três mulheres são torturadas e mortas em mangue; ação foi filmada e acusados estão presos

Foto: Divulgação
Três homens foram presos e um adolescente apreendido pela morte de três mulheres em área de mangue na comunidade Parque Leblon, em Caucaia, Região Metropolitana de Fortaleza. A Polícia faz buscas no local desde a tarde dessa terça-feira, 6, quando o trio foi preso.

A denúncia foi realizada no 7º Distrito Policial (DP), na última sexta-feira, 2. De acordo com o delegado adjunto Alexandre Sanders, vídeos mostraram momentos de tortura e execução.

Três homens foram identificados e presos nessa terça, além de um adolescente que foi encaminhado para a Delegacia da Criança e do Adolescente (DCA) e apreendido. Uma quinta pessoa foi identificada como Alison Borges, 19, e é procurada pela Polícia.

Foram presos Antônio Honorato dos Santos, 42, sem passagem pela Polícia; Luiz Alexandre Alves Silva, 23, com passagem por roubo; e Diego Alves Fernandes, 21, que já responde pelos crimes de receptação, corrupção de menores e formação de quadrilha.

"O menor confessou ter participado, mas disse que teria apenas prestado apoio acompanhando a ação" na Capital até o mangue em Caucaia. A Polícia acredita que ele teria cortado dedos de uma das vítimas. Os outros negam envolvimento.

O crime
A ação dos criminosos começou na comunidade de Coqueirinho e Pirambu, onde as vítimas moravam. "Homens da comunidade do Morro de Santiago arrebataram as três vítimas e entregaram ao adolescente, que as levou até o Parque Leblon", contao delegado-adjunto.

"Elas ainda estavam conscientes e não tinham sido agredidas. Falaram que levariam elas para rasgar camisas de facções", expressão usada em conflito entre facções. "Elas provavelmente ainda não sabiam a dimensão do perigo que corriam", continua o delegado.

Já no mangue, os criminosos filmaram toda a ação. "A gente consegue identificar pouco, até pela forma como eles já agem. Sempre direcionam a câmera para o chão e não citam nomes", descreve Sanders. "Ainda assim, o vídeo mostra o pavor das vítimas ainda no começo da ação, e depois deixava claro que elas já estavam com morte decretada".

A polícia investiga se a motivação do crime teria relação com conflito entre facções, já que as vítimas moravam em bairros dominados por uma facção rival da qual os criminosos pertencem. Não há confirmação de que elas seriam parte de algum grupo criminoso.

Os acusados responderão por homicídio qualificado, tortura, ocultação de cadáver e formação de quadrilha. "São crimes bem pesados e o fato de alguns deles já terem passagem pela polícia pode agravar ainda mais no tempo que eles ficarão presos. Mas isso é decisão da Justiça", pondera Sanders.

Denuncie
A polícia recebe denúncias anônimas pelo 190 e pelos números da própria unidade policial (3101 2232 ou 3101 2231). "A ajuda da população é útil para identificar infratores e localizá-los", afirma o delegado Alexandre Sanders.

O Povo

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.