Tatuador sobralense tem sua vida transformada pela arte

Foto: Júnior Tavares
Sobralense, 24 anos e da periferia. Maércio Mello é um tatuador bastante conhecido na Região Norte do Ceará. Um cara calmo e observador que gosta de entender primeiro as situações para dar qualquer tipo de opinião. Seu jeito calado de ser pode ser confundido com timidez ou como ele mesmo afirma: “podem achar que sou trancado, mas é que sou de poucas palavras.”

Muito prestativo, ele está sempre disposto a ajudar sem esperar algo em troca. No meio dos parentes e dos amigos, é descontraído e brincalhão, mas dentro do estúdio ele se torna o Maércio Mello Tatuador, onde concentra tudo para fazer sempre o melhor trabalho. Ele conta que antes, tatuar não era uma prioridade. “Se você me perguntar se eu sonhei em ser tatuador, vou lhe responder que eu nunca sonhei com isso. Porém, se você me perguntar o que amo fazer, sem dúvidas vou dizer que é tatuar”, disse

O primeiro contato dele com a arte foi através do desenho, um hobby de infância que foi deixado de lado por conta do trabalho e das responsabilidades que surgiram com o tempo. O estudante de jornalismo, Júnior Tavares, entrevistou o tatuador que teve sua vida transformada ao entrar em contato com a arte.

Ele conta à reportagem que após sair da prisão, “na liberdade”, foi onde se deparou com o que é essa arte e percebeu que para se aperfeiçoar na tattoo teria de investir em materiais e estudar muito sobre o assunto. E assim ele fez. Vendeu alguns objetos de valor que tinha e investiu em uma máquina profissional de segunda mão e começou a “riscar geral”.
Tatoo Realismo Preto Cinza | Foto: Júnior Tavares
Júnior Tavares: Quando foi que você viu que tinha jeito para tatuagem?

Maércio Mello: Conheci a tatuagem no pior momento da minha vida. Na adolescência as coisas não estavam fáceis e eu me espelhava no que estava mais perto. Acabei sendo preso e foi lá dentro que tudo começou. Chegou um maluco com uma máquina de tatuagem artesanal e me reacendeu a paixão pelo desenho. Ali dentro eu encontrei algo que mudaria minha vida e só hoje consigo entender a proporção disso tudo que é a tattoo.

J.T: Quem são as tuas referências e o que te estimula?

M.M: Cara, todos os tatuadores! Quem é da área e faz tattoo é admirável porque fazem arte e de alguma maneira sempre tem algo a me passar, então são referências para mim. Mas dentro da minha cidade tem um tatuador em especial, o Bob Graffiti. Quanto ao que me estimula, a vontade de nunca parar é a perseverança.

J.T: Qual o estilo que você mais curte tatuar?

M.M: Eu gosto de ser desafiado e encaro o que me for proposto, mas o estilo que mais gosto é o realismo, nas duas áreas, preto cinza e o colorido.

J.T: Como é sobreviver da própria arte?

M.M: Hoje consigo pagar minhas contas e graças a Deus me trouxe certa estabilidade. Mas não estou nessa pelo dinheiro e sim porque amo a arte e devo muito a ela.

J.T: Qual o valor que a TATUAGEM tem pra você?

M.M: Como já havia dito, estou nessa pelo amor. A tattoo salvou minha vida, e por isso, quem é tatuador e tem a tatuagem como cultura e estilo de vida merece minha admiração. Porque estão quebrando paradigmas e levando a arte para outro nível.

J.T: Como foi mostrar seu trabalho no Festival Concreto (Festival Internacional de Arte Urbana) em 2017?

M.M: Cara, foi uma experiência incrível. O festival trabalha várias linguagens da arte e sempre tem uma programação que envolve vários artistas, principalmente o grafite. Na época o meu assessor propôs para a organização do evento que seria interessante ter uma tenda dedicada à tattoo e eles amaram a ideia, tanto que fomos convidados para participar durante todos os dias do evento.

J.T: E como as pessoas reagiram quando viam você tatuando?

Tatoo Realismo Colorido da Frida Kahlo | Foto: Júnior Tavares
M.M: As pessoas olhavam com olhar de curiosidade, porque elas não veem com frequência pessoas sendo tatuadas e para a maior parte das pessoas era a primeira vez que viam. Em uma das noites convidei a Lana Body Piercing e o Tete Tattoo para participarem da tenda. Ficamos rodeados por uma multidão de pessoas curiosas, foi sinistro e muito bom!

J.T: Quanto aos planos para o futuro?

M.M: Mano, quero continuar riscando muito e se Deus permitir vou viver o resto da vida da arte da tattoo. Pretendo continuar estudando e me aperfeiçoando e dessa forma levar meu trabalho para o máximo de pessoas possíveis.

Tatuador Maércio Mello 

Mais informações:
WhatsApp: (88) 9.9773-2746
Instagram: @Maerciomello
Facebook: @Maerciomello

Por: Júnior Tavares

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.