Diretor da Grendene de Sobral concede entrevista à Rádio Coqueiros FM

Foto: Divulgação/Coqueiros FM
O diretor industrial da Grendene de Sobral, Nelson Rossi, concedeu nesta quarta-feira, 14, uma entrevista ao programa Show do Betto Guerra na Rádio Coqueiros FM. Na ocasião, o diretor contou ao radialista Betto Guerra sobre o início da sua história com a empresa.

De acordo com Nelson Rossi, ele e a família moravam em uma roça localizada no interior de Farroupilha (RS). A mãe garantiu o sustento da casa com seu salário de professora. Para ele, os ensinamentos dos pais contribuíram para que hoje ela esteja ocupando um importante cargo. "Meus pais sempre ensinaram para gente que o trabalho com determinação e com respeito era possível", disse.

De início, o atual diretor da Grendene em Sobral trabalhou em uma pequena empresa de calçados. Ele conciliava emprego e os estudos. Em 1970, ainda em Farroupilha, surgiu uma oportunidade de trabalho na Grendene. "Na época a gente fazia a palha com garrafão de plástico", lembra.

Após anos dedicados à empresa, atuando como zelador e auxiliando em outros serviços, Nelson foi convidado para dirigir o empreendimento na cidade de Sobral. Tendo uma história de superação, ele recorda das dificuldades pelas quais passou.
"Tenho orgulho danado de ter vivido na infância, as mesmas dificuldades dos que vivem aqui. Em tudo aquilo que me envolvo, me envolvo de corpo e alma. Sempre fiz assim e vou continuar. Essa coisa de entrar de corpo e alma e fazer com os recursos que você tem, é uma caracteristica que eu carrego comigo. A gente precisa ser protagonista da nossa história", destaca.

Neste ano, a Grendene chega aos seus 47 anos de história e 25 anos de instalação na cidade de Sobral. Atualmente, 14.500 pessoas trabalham na fábrica de Sobral. "Essa história não poderia ser exitosa se não produzíssemos um bom produto", exalta.

O diretor é conhecido pela proximidade que tem com os seus funcionários. Ele conta que faz questão de comparecer a qualquer evento da fábrica, mesmo quando não há necessidade.
"Eu tenho uma poximidade muito grande com as pessoas. Respeito demais. Acho que o sucesso vem desse respeito, dessa empatia, desse proceesso todo. A grendene pensa assim e acredita nisso", disse.

Nelson Rossi também abordou o assunto acerca das doenças que algumas pessoas enfrentam ao deixar o emprego na Grendene. De acordo com o diretor, nos últimos quatro anos, a empresa investiu em uma equipe econômica que estudou o assunto em Sobral. Dentre várias medidas que foram adotadas, Nelson destaca a inclusão de horários de descanso, nos quais os funcionários têm cerca de 26 minutos que são divididos durante o serviço. Além disso, existe ainda o horário das refeições. A empresa temia que a produtividade nas fábricas caíssem, porém, três anos depois a produção cresceu cerca de 11%.

Ainda em sua entrevista, o diretor respondeu perguntas dos ouvintes da Coqueiros FM e explanou sobre outros assuntos, tais como: contratação de jovens aprendizes, exportações de calçados, retornos de ex-funcionários e economia do país. "Meu reconhecimento a todas às pessoas que compõem a Grendene. Esse êxito é um êxito de todos", finaliza.

- Confira a entrevista completa AQUI !


Thais Menezes/SPN

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.