Morre universitária de 18 anos que teria sido queimada pelo próprio pai em Assaré

A estudante de economia da Universidade Regional do Cariri (Urca)  Juliana Oliveira, 18 anos, que estava internada desde o dia 10 de fevereiro no Centro de Tratamento de Queimados, no hospital Instituto Doutor José Frota (IJF), em Fortaleza, faleceu ontem, 21, após passar 11 dias internada.

A jovem sofreu queimaduras de 1º e 2º graus em 88% do corpo e não resistiu. O pai e agricultor João Batista de Oliveira, faleceu na última terça-feira, 20, e tinha 90% do corpo queimado. A mãe e o irmão de Juliana tiveram queimaduras leves, ela permanece internada em Barbalha e o filho está com os familiares.

No dia 9 de fevereiro, o pai João Batista chegou bêbado em casa e ateou fogo na residência com toda a família dentro. De acordo com as testemunhas, ele não aceitou o pedido de divórcio da mulher. O agricultor teria ateado fogo nos filhos e em si próprio. Ao ver a fumaça, vizinhos arrombaram a porta da casa e conseguiram retirar a família das chamas.

A família foi atendida de imediato no hospital de Assaré, no entanto, Juliana foi transferida de helicóptero pela Coordenadoria Integrada De Operações Aéreas (Ciopaer) no dia seguinte, para o Centro de Tratamento de Queimados, no hospital Instituto Doutor José Frota, em Fortaleza.
O Povo

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.